Que todos os nomes da lista secreta do Estado venham à tona

Entram governos e saem governos e os esquemas corruptos continuam

Opinião
Por Redação
5 de agosto de 2022 - 9h56

O Estado do Rio de Janeiro insiste em provar que carrega sobre si uma espécie de maldição da corrupção. Entram governos e saem governos e os esquemas corruptos continuam, de formas diferentes, mas seguem entranhados feito um câncer em metástase por toda estrutura de poder estadual.

Agora, para não fugir ao script, o governo do Cláudio Castro segue no mesmo diapasão. Valores cada vez com mais cifrões são revelados pela imprensa, envolvendo nomeações secretas para que cabos eleitorais recebam na boca do caixa um dinheiro que, em muitas das vezes, não conseguem justificar por trabalho honesto realizado.

E o escândalo, de tão grande e espalhado por todo Estado, chegou a Campos. Listas com nomes conhecidos vão surgindo a todo instante. Vereadores campistas da base de sustentação do governador e do deputado estadual Rodrigo Bacelar são cúmplices de um esquema irregular, onde assessores seus recebem valores vultosos também pelo governo do Estado sem conseguirem explicar o porquê de todos sacarem sistematicamente todo dinheiro em espécie nos bancos, num mundo onde praticamente ninguém faz isso.

A Justiça está fazendo a sua parte bloqueando os pagamentos. O Ministério Público está debruçado sobre uma montanha de papéis e destrinchando o esquema. O que se espera é que todos os nomes que compõem essa lista secreta venham à tona. Que os culpados paguem pelos erros e os que efetivamente trabalham em suas funções e cumprem suas cargas horárias como qualquer trabalhador, que sejam excluídos do rol dos corruptos e corruptores. No mais, cadeia para os mentores e aproveitadores do suado dinheiro pago em forma de impostos pelo cidadão e empresas e que abarrotam os cofres do Estado com um recurso que infelizmente ainda fica à mercê dos ladrões vestidos de ternos e gravatas.