Coagro reúne produtores da região para planejar início das atividades da Paraíso

Agricultores de Campos, Quissamã e Carapebus participaram do encontro

Agricultura
Por Redação
22 de junho de 2022 - 14h22
Frederico Paes – Presidente da Coagro (Foto: Silvana Rust)

A Cooperativa Agroindustrial do Estado do Rio da Janeiro (Coagro) reuniu produtores rurais da Baixada Campista, de Quissamã e de Carapebus, na manhã desta quarta-feira (22), para planejar o plantio de cana para as atividades da Coagro Unidade Paraíso, que começará a moer em junho de 2023. Na ocasião, o presidente da Coagro, Frederico Paes, informou que a Cooperativa já está com o projeto em andamento para fomentar o plantio em propriedade rurais dos três municípios, com investimentos de R$ 5 milhões. Também estão sendo investidos R$ 30 milhões na recuperação do parque industrial, com alta tecnologia.

“Nós vamos gerar aqui, nessa unidade, 1,5 mil empregos diretos. São 1,5 mil famílias podendo contar com trabalho digno. Até hoje fico emocionado em Sapucaia, nas trocas de turno, quando vejo todas aquelas pessoas saindo satisfeitas, sabendo que têm de onde tirar o seu sustento”, vibrou Frederico.

Os secretários de Agricultura de Campos, Quissamã e Carapebus participaram do evento e afirmaram que também farão o possível para colaborar com os produtores. “Dentro da legalidade, nós vamos fazer o possível para que principalmente o nosso pequeno produtor tenha todo o suporte para produzir e escoar sua produção”, ressaltou o secretário de Agricultura e vice-prefeito de Quissamã, Marcelo Batista.

A reabertura da usina também foi comemorada pelo secretário de Agricultura de Carapebus, Wagner Barcelos. “Desde 2003, quando a usina do nosso município fechou, o setor ficou praticamente adormecido. Essa reabertura traz esperança aos nossos produtores”, disse.

O secretário de agricultura de Campos, Almy Jr., disse que o município está trabalhando para tentar suprir as duas principais demandas dos produtores, que são as estradas e as pontes. “Posso dizer que 90% das notificações que recebo no telefone é de produtores rurais me pedindo resolução a respeito de estradas e pontes”, disse Almy, ressaltando que o município vai reformar 60 pontes, inclusive, 36 pontes de madeira, que serão substituídas por estruturas de concreto.