Professores da Uenf protestam por falta de luz e água em prédio

Reitoria afirma buscar solucionar o problema que afeta o Centro de Ciência do Homem (CCH)

Educação
Por João Marcos (Estagiário)
13 de junho de 2022 - 12h16
Professores usaram velas para iluminar sala do CCH da Uenf (Fotos: Silvana Rust)

Alguns professores da Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro (Uenf) realizaram um protesto na manhã desta segunda-feira (13), no prédio do Centro de Ciência do Homem (CCH), devido à falta de luz e água no local, que já dura uma semana. Os docentes caminharam pelo edifício com velas acesas para criticar o apagão causado por problemas na rede elétrica. O reitor Raul Palacio afirmou que o reparo do gerador no prédio do CCH deverá ser solucionado até terça-feira (14). Ao todo, quatro prédios quatro edifícios foram afetados com a falta de energia: o P5, a Reitoria, o Restaurante Universitário e o CCH. Os três primeiros estão funcionando com auxilio de um gerador de energia.

Segundo a professora Luciane Silva, o problema está impactando diretamente alunos e professores em um momento importante, que é o final do semestre. Ela mostra preocupação com um Congresso Científico que está agendado para a próxima semana.

Luciane Silva (Foto: Silvana Rust)

“Estamos sem água e luz. Com isso, o prédio está fechado. Isso impacta todo o funcionamento e paralisou as atividades de aula, pesquisa e extensão. Nós queremos o retorno imediato, pois o semestre acaba no dia 8 de julho. Além disso, acontecerá um grande congresso científico com todas as universidades de Campos na próxima semana. Nós não estamos tendo aula. Precisamos de uma resposta rápida, pois é um momento crucial para alunos e professores” comenta Luciane.

A estudante de ciências sociais, Michelle Crystina, disse que a paralisação do prédio prejudica o andamento dos estudos.

Michelle Crystina (Foto: Silvana Rust)

“No momento estamos sem aula nenhuma. Não estamos conseguindo completar os trabalhos e o semestre está acabando. Está sendo muito difícil”, lamentou a aluna do CCH.

Marcos Pedlowski (Foto: Silvana Rust)

De acordo com o geógrafo e professor da pós-graduação em Políticas Sociais, Marcos Pedlowski, o problema aconteceu em outros prédios, mas foram solucionados. Diferentementedo CCH, segundo ele:

“O curioso é que aconteceu o problema em outros prédios, e solucionaram a situação nos edifícios da administração e do restaurante, mas do centro de pesquisa , não. A Reitoria da Uenf, lamentavelmente, não ofereceu nenhuma resposta palpável sobre quando a eletricidade voltará ao prédio”, afirma.

Reitoria busca solucionar o problema:

Reitor Raul Palacio (Foto: Silvana Rust)

O reitor da Uenf, Raul Palacio, afirmou que o problema do gerador no prédio do CCH deve ser solucionado entre segunda (13) e terça (14), com isso o prédio sairá das escuras.

“Já tomamos as devidas providências e estamos no aguardo das peças. Entre hoje e amanhã o problema de gerador do CCH será resolvido, e teremos luz.”

Palacio destacou, ainda, que o problema geral são nos cabos internos soterrados, e, segundo ele, o reparo custa cerca de R$ 500 mil.

“O problema é muito maior que um gerador. Temos problemas nos cabos internos soterrados que alimentam a eletricidade da Universidade. São cabos que suportam 14 mil watts. Esses condutores já foram consertados duas vezes. Na terceira vez, o estrago foi maior. Precisamos trocar. Será realizado um processo emergencial, onde teremos que contratar uma empresa para inspecionar e mostrar a gravidade do assunto. O serviço deve custar em torno de R$ 500 mil reais para trocar quatro quilômetros de cabos.”

Segundo o reitor Raul Palacio, o problema já poderia ser resolvido, pois a universidade ofereceu a possibilidade das aulas que são realizadas no Centro de Ciência do Homem serem realocadas para outros prédios

“Desde a última terça-feira, oferecemos a possibilidade para que as aulas que são realizadas no CCH sejam realocadas para outros prédios da Uenf, que também passaram por problemas de fornecimento de energia elétrica, mas estão funcionando com geradores.”

O reitor comentou que o CCH já poderia voltar a funcionar, pois a direção tem recursos próprios para alugar um gerador para funcionar no período em que a Uenf resolve o problema geral.

“O CCH vai voltar a funcionar quando quiser, pois sua direção tem recursos próprios. O Centro tem mais de R$ 300 mil em recursos que podem ser utilizados para alugar um gerador que funcione emergencialmente, até que a Reitoria resolva o problema geral. O recurso da Universidade é mais complexo de utilizar, mas o recurso que o CCH tem na Fundação é de fácil uso e rápida administração. O problema poderia ter sido resolvido”, conclui.