Com casos de Covid em declínio, dengue volta a preocupar em Campos

Em um mês de funcionamento, 134 pessoas foram atendidas com sintomas da doença no Centro de Referência do município

Campos
Por Redação
14 de maio de 2022 - 8h45
Agentes do CCZ no combate ao Aedes em Campos (Foto: Silvana Rust)

De acordo com o último boletim emitido pela Secretaria Municipal de Saúde (divulgado na noite de sexta-feira, 13 de maio), Campos dos Goytacazes não registrou morte por Covid-19 nos últimos sete dias. O último óbito pela doença no município ocorreu no dia 17 de abril (veja aqui). Em contrapartida, outro boletim divulgado pelo órgão municipal, também na sexta, aponta que em menos de um mês — período de funcionamento do Centro de Referência da Dengue e Pós-Covid Dr. Jayme Tinoco Netto — 134 pessoas foram atendidas no local com sintomas de dengue, sendo que 33 já testaram positivo para a doença por meio de exame de sangue. Foi registrado, ainda, um caso de zika e um de chikungunya. Mas a preocupação com as doenças causadas pelo Aedes aegypti não é prerrogativa apenas de Campos: a Secretaria de Estado de Saúde (SES) divulgou que nos primeiros meses do ano, o Estado registrou um aumento de 115,6% no número de casos de dengue.

O diretor do Centro de Referência, Luiz José de Souza (Foto: Carlos Grevi)

O coordenador do Centro de Referência da Dengue e Pós-Covid de Campos, Luiz José de Souza, explica que aqueles que chegam ao local com sintomas de dengue, zika ou chikungunya são atendidos por demanda espontânea e agendamento por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBSs). “Não deixamos de atender ninguém que chega aqui, mas nossa orientação é para que a pessoa busque um primeiro atendimento na UBS perto de sua residência”, explicou ele, ressaltando que, para o atendimento pós-covid, o paciente vai precisar de encaminhamento médico, que pode ser da rede pública ou particular.

No Estado

Os últimos dados divulgados pala SES ainda não incluem maio. Por isso, os números podem ser maiores. Levantamento da Coordenação de Vigilância Epidemiológica aponta que, nos primeiros meses do ano, o RJ registrou um aumento de 115,6% no número de casos de dengue. A análise compara o período de 1° de janeiro a 30 de abril deste ano, quando foram registrados 2.839 casos, com o mesmo período de 2021, quando foram notificados 1.317. Três pessoas morreram com a doença este ano, sendo duas na capital e uma em Santo Antônio de Pádua. Em 2021, foram registrados 2.879 casos de dengue e quatro óbitos. Em 2020, foram 4.435 casos e sete óbitos.

“Diante do cenário epidemiológico da dengue, ficou caracterizado um aumento expressivo de casos registrados em alguns municípios do estado, sinalizando para uma possível situação de alta transmissão. Por isso, pedimos que a população busque a prevenção e apoie as ações da Secretaria, que vem avançando pelo território para evitar novos casos e óbitos”, ressalta o secretário de Estado de Saúde, Alexandre Chieppe.

A Região Noroeste apresentou a taxa de incidência da dengue mais elevada. Houve aumento de casos notificados também na capital e nas regiões Metropolitana I, Norte, Serrana, Centro-Sul e Baía da Ilha Grande. Estão sendo monitorados mais especificamente os municípios Seropédica, Carapebus, Carmo, Cordeiro, Quatis e Vassouras, onde a taxa de incidência está acima de 50 casos por 100 mil habitantes.

Covid-19

A Secretaria de Saúde de Campos divulgou, nessa sexta-feira (13), mais um Boletim Coronavírus. Conforme dados da Subsecretaria de Atenção Básica, Vigilância e Promoção da Saúde (Subpav), colhidos junto aos cemitérios, não foi registrado óbito nos últimos sete dias.

A Subpav orienta a população a seguir com as medidas de prevenção como manter o distanciamento social, evitando ambientes com aglomeração, lavar bem as mãos e usar álcool 70%. Em caso de ingresso em unidades de saúde, o uso de máscaras continua obrigatório.

Boletim Coronavírus 13/05/2022
Confirmados: 56.712
Óbitos confirmados: 1.828
Recuperados SRAG: 2.499
Recuperados SG COVID: 48.206
Recuperados SG não especificado: 22.920
Síndrome Gripal (SG): 152.412
Número de internações com Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG): 6.267

Censo Diário de Ocupação de leitos nesta sexta-feira (13):
Ocupação da UTI – 21,43% na Rede SUS e Privada
Ocupação Clínica Médica – 0,00 % na Rede SUS e Privada
Fila de espera – Não há paciente em fila

Total de doses aplicadas até sexta-feira (13):
Primeira dose – 406.496
Segunda dose – 350.881
Terceira dose – 183.715
Quarta dose (imunocomprometidos e idosos 70 anos ou mais) – 7.060
Dose única – 10.650