Pandemia muda perfil do verão e campistas trocam praia pela cidade

População mais reclusa em Campos resulta em menos movimento nos balneários da região

Campos
Por Girlane Rodrigues
9 de janeiro de 2022 - 7h01
Centro da Cidade | Aos poucos, Campos vai mudando de hábitos

Não é novidade que o cenário pandêmico alterou o comportamento humano no mundo inteiro. Em Campos, uma das mudanças foi a perda da característica tradicional da cidade de ser esvaziada durante o verão, quando os campistas viajavam. As determinações de distanciamento social para evitar o contágio da Covid-19 fez com que a população ficasse mais em casa, em 2020 e 2021. O consumo aumentou e, apesar dos restaurantes terem fechado, os estabelecimentos continuaram funcionando pelo modo delivery. Agora, em 2022, a expectativa de empresários é que o verão não seja empecilho para o aumento no consumo e circulação de pessoas.

Breno Romano | Aposta no verão

O presidente da Liga Gastronômica de Campos, Breno Romano, avaliou que o campista não tem mais o hábito de passar dois ou três meses direto na praia durante o verão, como antigamente. “Como proprietário de restaurante em Campos, posso afirmar que os estabelecimentos têm ficado movimentados nos finais de semana, principalmente domingo à noite, quando quem foi à praia no fim de semana, já retornou à cidade”, conta.

Segundo Breno, parte do público que frequenta seu restaurante na sexta e sábado, por exemplo, é a população flutuante do município. “Ou seja, gente de fora que está na cidade para trabalhar. Nossa população hoje está miscigenada e quem vem de fora assim não costuma deixar a cidade”, afirma. No primeiro fim de semana de 2022, o restaurante dele ficou fechado por causa da festa de Réveillon. A expectativa é de que neste e nos próximos fins de semana haja aumento no movimento. Para isso, Romano tem preparado uma série de atrativos. “Está calor e isso é um fato. Ninguém gosta de ficar em casa em dias quentes. Por isso, estou fazendo happy hours e lançando promoção de chope e de entradas diferentes para atrair cada vez mais gente para nosso restaurante”.

Quem visitou as praias da região no Réveillon constatou pouco movimento. “Costumo ir a São João da Barra todos os anos. Passo o verão em Grussaí, indo somente aos finais de semana e notei que a cidade estava praticamente vazia para um fim de semana de feriado como foi o dia primeiro de janeiro. Acredito que muita gente ficou em casa, em Campos”, disse o aposentado Fernando Lopes, de 58 anos.

Para a Prefeitura de São João da Barra, o movimento do último feriado foi dentro do esperado. “Obviamente, levando-se em consideração o período de pandemia, quando existe a diminuição natural do fluxo de pessoas.

Ressaltando que não foram realizados eventos no Réveillon e o decreto municipal de prevenção à Covid-19 em vigência mantém restrições, como a limitação da lotação em 50% de bares, restaurantes, lanchonetes e afins”, informou a Prefeitura por meio de nota.

Já a Prefeitura de Campos foi questionada se faz algum acompanhamento para identificar a permanência de pessoas na cidade ou o fluxo de saída durante os finais de semana, mas até o fechamento desta edição, o órgão não havia se posicionado.

Livia Enes | Abriu filial em Atafona

Campos x São João da Barra
Independente da pandemia do coronavírus e da mudança comportamental do campista, é tradição a migração de pessoas de Campos para São João da Barra aos finais de semana. Por isso, muitos estabelecimentos comerciais também migram durante o verão para as praias vizinhas. Em 2022 três empresários de Campos se uniram para lançar um restaurante em Atafona, dois deles têm restaurantes em Campos.

“Durante a semana o movimento em Campos se mantém bom, e estou percebendo a cidade mais cheia. A partir de sexta diminui o movimento em relação ao resto do ano, mas não sinto mais que Campos é uma ‘cidade fantasma’, como acontecia em anos anteriores. Eu e mais dois sócios abrimos um restaurante em Atafona para suprir essa queda no movimento em Campos aos fins de semana, pois interfere no nosso faturamento”, disse a empresária Lívia Enes.

Para atrair clientes em Campos, Lívia afirma que segue com os menus e festivais já planejados. “A gente, inclusive, muda o horário de funcionamento durante o verão em Campos. Normalmente funcionamos de terça a sábado à noite. E em Atafona o restaurante funciona quinta, sexta e sábado à noite”, conta.