Obras no Heliporto do Farol de São Thomé são vistoriadas

Ampliação da pista vai melhorar a segurança de decolagem de aeronaves na unidade; conclusão está prevista para o mês que vem

Economia
Por Redação
21 de julho de 2021 - 7h42
Obras no Heliporto do Farol (Reprodução PMCG)

As obras de construção de uma nova pista de pouso no Heliporto de Farol de São Thomé estão em andamento há quase um mês, no litoral de Campos dos Goytacazes. Representantes da Prefeitura acompanham a obra que tem previsão de ser concluída em agosto. O secretário de Governo, Juninho Virgílio, e os presidente e vice-presidente da Companhia de Desenvolvimento do Município de Campos dos Goytacazes (Codemca), Afrânio dos Santos e André Kananga, estiveram no local.

O governo pediu uma vistoria à empresa Infra Operações Aeroportuárias Farol de São Thomé, responsável pela obra. A pista atende a uma adequação para novos modelos de aeronaves usadas pela Petrobras e é indispensável para que a estatal continue operando em Farol.

“A boa notícia é que a empresa responsável pela obra diz que o trabalho será concluído no prazo dado, de 45 dias”, disse o secretário de Governo.

O diretor comercial da Infra, Louzival Mascarenhas Junior, explicou o trabalho que está sendo executado no heliporto. São nove caminhões por dia só de material. A pista terá 580 metros de extensão. Está sendo feito um reforço do subleito com pedra rachão para estabilizar o solo. Depois, a pista vai receber uma camada de 20 centímetros de pó de pedra.

“Depois terá nova camada de 20 centímetros de brita graduada e outra imprimação e posterior pavimentação. São 45 centímetros de cobertura, além do reforço do subleito”, detalhou.

O diretor explicou que a nova pista está sendo construída a partir do atual heliponto, que fica no meio. A implantação da pista é para melhorar a segurança do heliporto, que só permitia decolagem de forma vertical, mas passará a ser feita ao longo da nova pista.

“Caso haja necessidade de rejeitar uma decolagem, com a ampliação da extensão, haverá condições de um pouso seguro, conforme prevê o manual da aeronave crítica, que é a S92, aeronave de grande porte, que precisa de 550 metros, na hipótese de rejeitar a decolagem, para atingir a velocidade de sustentação”, diz o diretor.

O superintende da Infra, Rosimar Tavares, explicou que as obras são realizadas de segunda a sábado, a partir de 17h e prosseguem até às 4h da madrugada. Nesse período não há operações da Petrobras no heliponto que abre às 5h da manhã para operações de voos.

Fonte: SubCom/PMCG