Alguns nomes, entre tantos, que ajudaram a escrever nossa história

.

Guilherme Belido Escreve
Por Guilherme Belido
20 de julho de 2021 - 16h08

Matéria recentemente publicada abordou a expectativa de Campos ante um novo ciclo de prosperidade o qual –  naturalmente que no pós-pandemia e com a crise econômica arrefecida – teria seus passos iniciais nos novos investimentos do petróleo e no reconhecimento do agronegócio como marco que devolveria ao município seu principal perfil: a agricultura. 

Destacando a longa e importante história de Campos no cenário político-econômico nacional, à guisa de homenagem aproveitou-se o ensejo para citar – entre tantas figuras e todas de saudosa memória – algumas poucas que a seu tempo deram significativa contribuição ao desenvolvimento desta terra. 

Parte integrante de matéria de página inteira, propositadamente foi ‘sacada’ do jornal on-line para que na presente oportunidade se lhe desse melhor aproveitamento.  

Registre-se, contudo, que escrito ‘de cabeça’ e sem qualquer pesquisa, o texto está repleto de omissões involuntárias e que os não-citados são em número maior e no mesmo patamar de importância dos que aqui lembrados.  

Além dos vultos históricos como Nilo Peçanha, Benta Pereira, José do Patrocínio e Alberto José de Sampaio, faz-se justo reconhecimento ao salientar (sem cronologia ou ordem de qualquer espécie) os nomes de Saturnino Brito, José Carlos Pereira Pinto, Tarcísio Miranda e Celso Peçanha. De Alberto Lamego e José Cândido de Carvalho.  

De Bartholomeu Lysandro e Cardoso Moreira. De Salo Brand, Barcelos Martins e Togo de Barros. De Theotonio Ferreira de Araújo, de Heli Ribeiro Gomes e Alair Ferreira. De Ferreira Paes e José Alves de Azevedo. De Mario Ferraz Sampaio, de Andral Tavares e Pereira Jr. 

De Silvio Fontoura, Júlio Nogueira e João Rodrigues de Oliveira. De Hervé Salgado Rodrigues, dos irmãos Oswaldo e Everaldo Lima, de Vivaldo Belido de Almeida e de Aluysio Cardoso Barbosa.  

De Luis Gualda, Paulo Pinto e Hécio Bruno. De Aldo Muylaert, João Batista Tavares da Hora e Viveiros de Vasconcellos. De Maria Benedita Gouvêia, Gentil de Castro Faria e Aldano Sellos de Barros.  

De Lourival Martins Beda, Edgard Alvarenga, Barbosa Guerra e Almeida Gusmão. De Geraldo Venâncio e Jaime Martins Faria. De Oswaldo Cardoso de Melo, Philippe Uebe, Sadi Bogado e Makhoul Moussallem.    

De Irineu Marins, Yvan Senra Peçanha e Manuel Luís Martins Neto. De Joadélio de Paula Codeço e Walter Silva. 

Do Cel. Vicente Vasconcellos, de Hermeny Coutinho e de Amaro Gomes da Silva. De Dom Antônio de Castro Mayer, do Padre Rosário e do Pastor João Barreto.    

(*) O print abaixo reproduz com ligeiras mudanças – inclusive na foto principal – página publicada no jornal desta semana. Como o tema já fora abordado pelo signatário no on-line, a inserção do texto incorreria em parcial repetição. Por isso a opção por incluir apenas o PDF, inclusive para efeito do arquivo do jornal on-line do Terceira Via.