Secretário de Educação lista as primeiras dez escolas públicas a abrirem as portas durante a pandemia em Campos

Outras 30 unidades particulares voltam a funcionar ainda neste mês de junho com rotatividade entre os estudantes

Geral
Por Redação
8 de junho de 2021 - 18h18
Foto: JTV

O secretário municipal de Educação de Campos, Marcelo Feres, listou, em entrevista ao Terceira Via, as primeiras dez escolas públicas de Campos que vão abrir suas portas para aulas presenciais durante a pandemia. Pelo modelo híbrido de ensino, vão voltar a funcionar as escolas Branca Pessanha, no Eldorado; Custódio Siqueira, em Guarus; Getulio Vargas, em Tócos;  Frederico Paes Barbosa, no Parque Novo Mundo; Escola Prisco de Almeida; Ciep Wilson Batista, no Parque Guarus; Creche do Parque Imperial; Creche João Perdecene Neto, na Lapa; Creche João Siqueira dos Santos, na Tapera e a Creche da Penha, neste mesmo bairro. Além disso, 30 escolas privadas também estão prestes a funcionar ainda no mês de junho.

Feres participou do programa Radar Regional, exibido ao vivo pela 3ª Via TV, às 12h, e apresentado pela jornalista Roberta Barcelos. Ele disse que o plano municipal de Educação para implantação do sistema híbrido de ensino ficou pronto no início do mês de maio e vai garantir segurança a comunidade escolar contra a Covid-19. A vacinação dos professores do Ensino Infantil começou há uma semana e vai proporcionar a abertura de escolas 21 dias após a vacina. As primeiras a serem abertas serão as instituições privadas.  “De acordo com o plano, 20% das vacinas que chegam ao município são destinadas aos profissionais da Educação. Neste primeiro momento, decidimos que a escola enquadrada na abertura, poderá vacinar até 27 profissionais, sendo 20 professores”, disse.

Só na semana passada, profissionais de 32 escolas particulares de Campos foram imunizados e poderão abrir a partir do dia 20 de junho, aproximadamente, recebendo cerca de 100 estudantes por dia, uma média de cinco crianças por turma. “Se cada estudante for à escola uma vez por semana, teremos 500 alunos circulando, o que vai fazer com que a escola funcione em plenitude. Acredito que vamos avançar rapidamente para a outra fase, contemplando as escolas de ensino fundamental, porque muitos destes profissionais vacinados trabalham, além do Ensino Fundmental, também no Fundamental. Além disso, muitos profissionais da Educação foram vacinados pelos critérios de idade e comorbidades”, conclui o secretário.

Plano de Segurança

Segundo o secretário, dois fatores essenciais vão garantir a segurança escolar no sistema híbrido, além, da vacinação. O primeiro é que as escolas serão vistoriadas por equipes da Vigilância Sanitária para garantia dos protocolos de higiene. O segundo é que as escolas vão receber um manual operacional sobre como devem funcionar. O secretário adiantou, ainda, que a Prefeitura está promovendo o curso on-line “Escolas seguras e saudáveis” de capacitação para os profissionais aprenderem a lidar com a pandemia durante o trabalho

Questionado sobre a possibilidade de riscos de contágio do coronavírus durante o período letivo, o secretário concluiu que todo contato oferece riscos. “Está comprovado cientificamente que estabelecido o protocolo com distanciamento social, uso de máscara, higiene das mãos e ventilação, os ambientes tornam-se seguros para redução destes riscos. Além disso, estamos começando este escalonamento pelo Ensino Infantil, exatamente porque é onde se tem menos grau de contaminação, segundo orientações do Ministério da Saúde, cujas informações acabaram coincidindo com o nosso plano de segurança que foi concluído no início de maio”.

Sobre a qualidade do ensino público, Feres lembrou que Campos ficou na 75ª posição do IDEB de 2017 e em 2019, não participou como deveria para gerar uma nota. Ele citou que cidades da região, como Macaé e Itaperuna ficaram entre as 10 melhores no estado. “Podemos e devemos melhorar a educação de Campos. E há oportunidade para isto. A pandemia acelerou a inclusão do professor no mundo digital, o que já é uma realidade internacional. Vamos tirar proveito desta situação e somar com qualidade de gestão, capacitação docente e os aprendizados com a pandemia para termos uma outra perspectiva da Educação de Campos. Até o fim do ano, nosso cronograma vai mostrar que é possível fazer diferente e ter apoio dos profissionais de educação, que são os agentes principais na condição de melhora da educação. Os gestores só impulsionam, mas quem garante a qualidade são os profissionais e isso é em qualquer lugar, não só em Campos”.

Projeto Estação/Educação

Marcelo Feres contou que está elaborando o projeto Estação/Educação. “Estamos construindo 13 salas-estúdio com instalação de câmeras, áudio e transmissão de conteúdos para profissionais que já têm habilidade para gravar aulas para todas as séries escolares.