Estudante suspeita de matar namorado em legítima defesa responde em liberdade por homicídio

Delegada Madeleine Farias concedeu coletiva à Imprensa e deu detalhes do crime

Geral
Por Redação
4 de maio de 2021 - 16h46
Faca usada no crime (Foto: Divulgação)

A estudante de Direito, Gabriela Medeiros, de 19 anos, responde em liberdade pelo crime de homicídio com exclusão de ilicitudes e em típica ação de legítima defesa, por suspeita de matar o namorado José Maurício Dias, de 22 anos, na madrugada de domingo (2), em um apartamento no Parque Santo Amaro, em Campos.

A delegada Madeleine Farias, que lavrou o flagrante, concedeu uma coletiva de imprensa, na tarde desta terça-feira (4) e explicou detalhes do crime. “O casal namorava há cerca de um ano e, apesar de estarem brigados, voltaram a morar juntos na véspera do crime. Eles receberam um casal de amigos e, segundo a estudante, José Maurício combinou uso de álcool e droga”.

De acordo com a delegada, após a reunião com amigos, Gabriela teria acompanhado o casal ao térreo e depois ido para casa de outra amiga, só retornado ao apartamento do namorado pela madrugada. “Ela contou que José Maurício trancou a porta e escondeu a chave depois que ela entrou, pegou o aparelho celular dela, a agrediu com socos no rosto e tentou esganá-la a ponto dela quase desmaiar. Quando o namorado se afastou, Gabriela conseguiu pegar uma faca e o atingiu pela primeira vez assim que ele voltou a agredí-la. Depois ela deu mais dois golpes nele”, contou Madeleine.

Madeleine Farias – Foto: Carlos Grevi

Com o barulho das agressões, o porteiro foi chamado por vizinhos, subiu e arrombou a porta, já que a chave estava escondida, segundo Gabriela, que chamou o Corpo de Bombeiros, mas o rapaz já estava morto quando a equipe chegou. Ainda seguindo a delegada, a jovem ainda relatou ter sido agredida outras vezes, mas nunca denunciou o namorado por vergonha. Na delegacia ficou constatado que José Maurício já tinha histórico de agressão a outras pessoas.

“Poderíamos estar noticiando um feminicídio aqui e agora, mas na situação em que essa mulher se encontrava, ela conseguiu se defender. Exames periciais confirmaram lesões nítidas de esganadura, hematomas no rosto e cortes em um dos dedos e em uma das pernas da estudante, corroborando a versão contada por ela. Apesar disso, Gabriela será investigada e processada. Os amigos que estiveram no apartamento serão ouvidos e o inquérito será concluído e levado ao Ministério Público que vai avaliar o caso e poderá pedir ou não a prisão dela”, conta Madeleine.

A faca usada no crime foi apreendida.

Leia mais: Homem é assassinado a facadas dentro de apartamento no Parque Santo Amaro