Acusada falsamente de ser mãe de bebê abandonado no Parque Nova Brasília, grávida relata ameaças de morte

Paola Borges, de 21 anos, é apontada em fake news como mãe biológica do pequeno Lucas Emanuel, mas seu filho sequer nasceu

Geral
Por Redação
6 de abril de 2021 - 13h28
Paola mostra imagem sua que vem sendo compartilhada junto de notícia falsa. (Fotos: Silvana Rust)

A Paola Borges, de 21 anos, viu seu nome e sua imagem serem envolvidos em uma série de notícias falsas após um bebê recém-nascido ser abandonado na porta de sua casa, no Parque Nova Brasília, em Campos. Ela e o marido são acusados, em postagens compartilhadas por redes sociais e aplicativos de mensagens instantâneas de serem pais biológico do menino e chegaram a ser ameaçados de morte. Acontece que a criança esperada pelo casal continua no ventre da jovem, que chegou ao oitavo mês de gestação.

“Tudo começou quando a minha vizinha que encontrou a criança. Ela deu entrevistas, dizendo que havia escutado o choro vindo da direção da minha casa, que havia pensado que meu filho havia nascido e que era ele quem estava chorando. A partir desse comentário dela, explicando como encontrou a criança, foi que surgiu comentários pela vizinhança de que eu teria abandonado meu filho no portão da minha casa, pois eu não queria criá-lo”, conta Paola.

Paola mostra peças do enxoval de seu filho, que tem oito meses de gestação.

A jovem recebeu, em sua casa, uma equipe do Sistema de Comunicação Terceira e compartilhou sua história, que será tema de reportagem no Jornal Terceira Via, com exibição a partir das 18h30 desta terça-feira (9), na Terceira Via TV, com transmissão pelas redes sociais, pelo Youtube, pelo aplicativo Terceira Via e Sumicity Play, ou pelos canais: Claro (canal 2); Sumicity (canal 59); SF Net (canal 32); Ver TV (canal 25).

Paola contou que precisou buscar ajuda médica após as fake news que a acusavam de ter abandonado o bebê, batizado de Lucas Emanuel pela equipe médica do Hospital Plantadores de Cana (HPC), apra onde foi levado.

“Comecei a ficar nervosa com toda a situação, afinal de contas, estou grávida e próxima de ter meu filho. Ter um bebê na porta da minha casa, abandonado dentro de uma caixa de papelão, mexeu muito comigo, principalmente com o meu emocional. Comecei a passar mal, minha pressão subiu, tive sangramentos e precisei ir ao hospital. Fui informada, inclusive, que teria que ficar internada, mas acabei sendo liberada para fazer repouso em casa por conta da Covid-19”, explica.

Paola mostra o local onde o pequeno Lucas Emanuel foi encontrado por uma vizinha, no dia 1º de abril.

Ameaças e medo

De acordo com a jovem, ela e o marido passaram a receber ameaças de morte após imagens do casal começarem a ser compartilhadas, no último domingo.

“Parentes começaram me mandar prints de grupos do Whatsapp, nos quais afirmavam que eu era a mãe da criança e que eu a havia abandonado porque brigava muito com o meu marido. Fui ameaçada de morte e xingada. Estou com medo de sair na rua e acontecer alguma coisa comigo”, desabafa Paola.

Próxima de completar a 36ª semana de gravidez, Paola deseja que o pequeno Lucas Emanuel possa crescer bem e saudável.

“Meu filho se chamará Luis Miguel. Tudo o que eu quero para o meu filho, desejo, também, ao Lucas Emanuel. Que ele possa encontrar um lar que o acolha e dê tudo do bom e do melhor para ele. Fico me perguntando como alguém tem coragem de fazer isso com uma criança. É um absurdo abandonar um filho assim. Não sei nem o que dizer sobre essa situação”, opina a jovem.

Lucas Emanuel

Lucas Emanuel foi encontrado dentro de uma caixa de papelão na rua Álvaro de Azevedo Barcelos no Parque Nova Brasília, em Campos, na última quinta-feira (1º). Uma moradora ouviu o choro do menino e mobilizou a vizinhança, que acionou a Polícia Militar e o Corpo de Bombeiros.

Segundo informações obtidas pela equipe de reportagem do Jornal Terceira Via, o bebê segue internado no Hospital Plantadores de Cana, onde responde bem ao tratamento. Segundo os médicos, “Lucas Emanuel está cada dia mais forte e com mais saúde”.