Quando Campos dos Goytacazes nasceu? Um breve percurso por sua história…

Aniversário de Campos dos Goytacazes? Conheça a história por trás da data

No dia 28, a cidade de Campos dos Goytacazes completa 186 anos, entenda, por meio deste breve percurso por sua história, as possíveis datas que podemos celebrar como fundação do nosso município.

Breve percurso histórico:

Mapa Cartográfico Descrevendo a Vila de São Salvador. Ano [17–]. Aquarela e nanquim, 33,5 x 42 cm. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/acervodigital/.

Em meados do século XVI, a região em que se situa Campos era denominada de Capitania de São Tomé, posteriormente Paraíba do Sul, doada, pelo rei Dom João III, a Pero de Góis da Silveira.  Pero iniciou a primeira tentativa de colonização e posteriormente seu filho Gil de Góis, mas os dois não tiveram sucesso com a instalação da Vila da Rainha. Na época, a região era habitada pelos índios Goitacá, que opuseram feroz resistência à ocupação e implantação do cultivo de cana-de-açúcar pelos portugueses, inviabilizando o projeto. A partir de 1627, com a doação do território aos chamados Sete Capitães, a colonização baseada na pecuária começou a se processar de modo efetivo. E o primeiro curral foi implantado em dezembro de 1633, em Campo Limpo.

Gravura de Salvador Correa de Sá e Benevides – o “Redentor de Angola”. Litografia, p&b. Lisboa. Disponível em: https://angolaportuguesaatravesdosseculos.blogspot.com/. Restaurada por computação gráfica de Paulo Roberto de Souza Jr.

Em 1652, começou a instalação do primeiro engenho de açúcar na região pelo General Salvador Correa de Sá e Benevides, o aclamado “Restaurador de Angola”, marcando o início dessa importante atividade econômica. Neste mesmo ano, foi inaugurada, no dia 6 de agosto, a primeira capela dedicada ao Santíssimo Salvador, onde depois foi erguida a Igreja de São Francisco de Assis, localizada na Av. Treze de Maio, local onde muitos consideram como o marco do nosso primórdio. Houve também neste período a instalação de Vila oficial, tendo esta uma Câmara Municipal, concretizando a legalidade da Vila de São Salvador em 1º de janeiro de 1653, com a posse dos vereadores e a primeira sessão.

Carta Régia ao conde de Atouguia mandando que informasse quanto a pretensão dos moradores da povoação do rio da Paraíba e Campos dos Goitacazes, de que fosse a mesma confirmada em vila, e sobre o pedido de Salvador Correia de Sá e Benevides de que se lhe fizesse mercê das ditas terras por capitania. Lisboa [Portugal]: [s.n.], 26 mar. 1657. 1 p. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/acervodigital/.

Entretanto, questões políticas acabaram extinguindo essa Câmara no ano de 1657. Aproximadamente 20 anos depois, em 29 de maio de 1677, foi estabelecida novamente a Vila de São Salvador dos Campos pelo General Salvador Correa de Sá e Benevides, cuja descendência originou os famosos Viscondes de D’Asseca, que dominaram a região por quase um século e exploraram a população da Vila com altos impostos. Após anos de resistência os moradores da Vila participaram de várias jornadas, sendo conhecidas como as “Quatro Jornadas”, tendo a última e decisória o levante de 1748, promovido por Benta Pereira e sua filha Mariana Barreto. Finalmente em 1752, ocorreu a queda do poderio dos Assecas, devolvendo a Capitania à Coroa. A partir daí, a expansão do cultivo da cana-de-açúcar se tornou possível pela divisão dos grandes latifúndios.

A introdução do primeiro engenho a vapor na região, em 1830, trouxe grande transformação no processo da produção de açucareira. E a elevação da Vila à condição de Cidade somente veio a ocorrer em 28 de março de 1835. É assim a cidade de Campos dos Goytacazes começou a ganhar projeção com a construção do Canal Campos-Macaé, que levou 28 anos para ser concluído, sendo inaugurado em 19 de fevereiro de 1872, com a função de escoar a produção açucareira. Contudo, foi logo substituído pelo aparecimento da ferrovia, em 1873, com a inauguração do trecho Campos-São Sebastião e posteriormente, em direção a Macaé e ao trecho Norte-Sul (Estrada de Ferro de Carangola), facilitou a circulação, transformando o município em centro ferroviário da região.

Em 1877, são implantados, na região, os engenhos centrais e posteriormente as (usinas). Em 1890, o território do município já estava reduzido praticamente às fronteiras atuais e a partir desta época, o comando da vida cultural da região passa dos solares rurais para o núcleo urbano. No início do século XX, a cidade consolida-se como núcleo de movimentação econômica e social, com o desenvolvimento das medidas de saneamento na região com ampliação da rede de esgoto e melhorias nos serviços de abastecimento de água.

Durante todo século XIX, a cidade atingiu grandes progressos, alavancados principalmente pelo ciclo do açúcar, o “ouro doce”, constituindo uma opulenta nobreza rural, com os fidalgos — considerados os barões do açúcar. A cidade foi prestigiada pelo Imperador Dom Pedro II e sua família em várias ocasiões, como na inauguração da energia elétrica pública no ano de 1883.

Fotografia de Campos dos Goytacazes – “L’ hospice de la misericordia et la prison”. Vista da Praça do Santíssimo Salvador, com a Igreja Mãe dos Homens, junto ao Hospital da Santa Casa de Misericórdia e a Casa de Câmara e Cadeia. Fotógrafo Revert Henry Klumb. Ano [18–]. Estereograma, papel albuminado, p&b, 7,8 x 13,7 cm em cartão suporte: 8,2 x 17,1 cm. Disponível em: http://bndigital.bn.gov.br/acervodigital/.

Embora nossa história ainda se mantenha ligada à indústria canavieira, Campos dos Goytacazes se direcionou para outras atividades econômicas, favorecendo-se pelo surgimento de pequenas empresas, melhoria de suas atividades comerciais e de serviço. Tendo como desenvolvimento na história recente a atividade petrolífera através da Bacia de Campos que contribuiu, sem sombra de dúvida, para a economia local por meio dos royalties do petróleo.

Então quando Campos faz aniversário?

Depois de percorrer nossa história, põe-se em questão: quando Campos dos Goytacazes nasceu? Ou seja, qual a data de aniversário de nossa cidade? Temos hoje diversas datas supostas para comemorar a fundação do município:

  • 6 de agosto de 1652;
  • 1º de janeiro de 1653;
  • 29 de maio de 1677;
  • e 28 de março de 1835.

Desmistificar estas datas não quer dizer renegar nosso patriotismo. Ao contrário, é uma forma de esclarecer aos campistas como se deu o processo de ocupação desta região, comemorando neste ano:

  • 369 anos da construção da primeira capela em louvor ao Santíssimo Salvador;
  • 368 anos da instalação da primeira Vila de São Salvador;
  • 344 anos de instalação da segunda Vila pelo Visconde de D’Asseca;
  • E os 186 anos de cidade, intitulada de Campos dos Goytacazes.

Para resolver tal problematização histórica o IHGCG — Instituto Histórico e Geográfico de Campos, propôs uma Assembleia Geral Extraordinária, realizada em 28 de novembro de 2019, na Emugle — Escola Municipal de Gestão do Legislativo, onde foi deliberada entre os pesquisadores e historiadores a data de (1º de janeiro de 1653). No entanto, a definição da data de aniversário do nosso município continua em aberto, aguardando a formalização desta decisão através de Lei Municipal a ser sancionada.

Historiadora Graziela Escocard

Instagram: @grazi.escocard

E-mail: graziescocardr@gmail.com

Cel.: 22 999391853

REFERÊNCIAS:

FEYDIT, Júlio. Subsídios para a História dos Campos dos Goitacazes. Rio de Janeiro, 1979. Ed. Esquilino Ltda.

LAMEGO, Alberto Ribeiro. O Homem e o Brejo. Rio de Janeiro: Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – Conselho Nacional de Geografia, 1945.

OSCAR, João. Escravidão & Engenhos. Rio de Janeiro: Achiamé, 1985.