TCE confirma desvio no PreviCampos apontado por CPI da Câmara

.

Blog do Cláudio Andrade
Por Cláudio Andrade
17 de fevereiro de 2021 - 10h24

Conselho Municipal de Combate à Corrupção ouve o ex-presidente do PreviCampos, Nelson Afonso Oliveira, no dia 24 de outubro de 2019. (Foto: JTV)

O Tribunal de Contas do Estado do Rio de Janeiro divulgou em seu site uma Auditoria Governamental, que constatou irregularidades em aplicações financeiras realizadas pelo (PreviCampos), entre o período de agosto e dezembro de 2016, no total de R$ 512 milhões investidos. Os prejuízos já haviam sido apontados por mim durante a leitura do relatório da CPI que participei como relator em vinte e oito de julho de 2020.

Segundo o TCE, os danos ao erário apurados alcançaram aproximadamente R$ 312,5 milhões. O relatório também indica, na mesma forma que a CPI onde fui relator, que Nelson Afonso de Souza Oliveira, presidente na época e ouvido na CPI, por mim e Jorge Willian Pereira Cabral, secretário municipal de Infraestrutura e Mobilidade do Município, que também ocupava o cargo de presidente do Conselho Deliberativo do órgão, realizaram uma série de aplicações financeiras, muitas com títulos podres, em 11 fundos de investimentos, tudo segundo o TCE de forma contrária a legislação previdenciária.

Conforme já havia mencionado na leitura do relatório da CPI, em sessão remota na casa de Leis, o TCE também entendeu que nenhum dos dois era habilitado para exercer os cargos que ocupavam. Para quem disse que a CPI era eleitoreira, vai precisar explicar isso ao TCE.
Minha total solidariedade com os servidores públicos de Campos.

Isso é apenas, a ponta do Iceberg!