Lancha desaparece com cinco amigos nas proximidades de Farol e São João da Barra

Eles navegavam do RJ para Fortaleza e antes de perder contato informaram que iam abandonar a embarcação porque água estava entrando na lancha

Campos
Por Redação
2 de fevereiro de 2021 - 11h47

(Crédito: G1)

Uma lancha com cinco amigos desapareceu em alto mar entre a praia do Farol de São Thomé, em Campos, e São João da Barra. O último contato da embarcação com um familiar foi na sexta-feira (29), quando um dos viajantes relatou à esposa que as condições do mar eram ruins e que roupas e comidas estavam molhadas. A Marinha do Brasil recebeu o chamado de socorro no domingo (31), e faz buscas com navio-patrulha e duas aeronaves na tentativa de encontrar o grupo. Também foi feito o alerta para embarcações na área onde eles fizeram o último contato. Por enquanto, nenhum sinal da embarcação ou dos tripulantes foi localizado.

Dos cinco desaparecidos, quatro foram identificados como: Ricardo José Kirst (empresário), Domingos Ribeiro (empresário), Wilson Martins (pescador) e José Cláudio (mecânico). Ricardo havia ido ao Rio de Janeiro com amigos comprar e receber a lancha e eles voltavam a Fortaleza (onde moram) pelo mar.

A esposa de um dos desaparecidos contou ao G1 que ficou sabendo que eles enviaram um pedido de socorro informando que abandonariam a embarcação. “Eu soube pelo clube, Iate Clube Guanabara, que essa ligação que recebeu era deles e disseram assim pra eles: ‘Encheu muito, tá muito temporal, tá muito ruim, vamos ter que abandonar a embarcação’.”, contou Tatiane Cruz, esposa de Ricardo.

A reportagem do Jornal Terceira Via enviou pedido de nota para a Marinha do Brasil para mais detalhes sobre o caso, que enviou a seguinte nota:

Navio patrulha Macaé (Foto: Marinha do Brasil)

“A Marinha do Brasil (MB), por intermédio do Comando do 1o Distrito Naval (Com1oDN), informa que iniciou, no dia 31 de janeiro, as buscas pelos cinco ocupantes da embarcação “O Maestro”, imediatamente após tomar conhecimento do seu suposto naufrágio, no litoral norte do Rio de Janeiro, nas proximidades do Farol de São Tomé.

O Com1oDN ressalta que as buscas permanecem em curso pelo terceiro dia consecutivo, com emprego do Navio-Patrulha “Macaé”, uma aeronave Sea Hawk (SH-16) e uma aeronave P-95 da Força Aérea Brasileira (FAB), além de embarcações civis e aeronaves que trafegam naquela área. As buscas seguem padrões técnicos e consideram os efeitos de correntes de deriva e ventos observados na área. Nos esforços realizados até o presente momento, não foram encontrados indícios que pudessem contribuir para a localização da embarcação e de seus ocupantes.

Com o propósito de obter mais informações que pudessem auxiliar nas buscas, o Salvamar Sueste, estrutura orgânica responsável por Operações de Busca e Salvamento (SAR) nesta região, emitiu Aviso aos Navegantes, dando ampla divulgação por Rádio, com o objetivo de alertar e solicitar apoio a todas as embarcações nas áreas próximas. Além disso, empresas civis que operam regularmente helicópteros e navios na região foram avisados do desaparecimento da embarcação “O Maestro” e das suas características. Ressalta-se que havia a possibilidade de ventos fortes naquela região nos dias 30 e 31 de janeiro.

O Com1oDN esclarece que está em contato permanente com os familiares dos tripulantes. Além disso, representantes das famílias receberam, hoje (02FEV), na Capitania dos Portos do Ceará (CPCE), todas as informações sobre o andamento das buscas e conheceram detalhes sobre os meios navais e aéreos nelas empregados.

Cabe ressaltar que a Marinha incentiva e considera importante a participação da comunidade, que pode ser feita pelos telefones 185 (número para emergências marítimas e pedidos de auxílio), (21) 2104-6119 ou (21) 97515-789, do Com1oDN, e o (22) 2741-4807 (diretamente com a Agência da Capitania dos Portos de São João da Barra, para outros assuntos, inclusive denúncias)”.