Ouriço-cacheiro e gambá são resgatados em São Francisco de Itabapoana

Segundo especialista, um dos motivos da presença destes animais em áreas habitadas é o crescimento de empreendimentos em áreas silvestres.

Geral
Por Redação
17 de outubro de 2020 - 11h30

Ouriço-cacheiro foi solto em área de mata em São Francisco de Itabapoana. (Foto: Divulgação)

Um ouriço-cacheiro e um gambá foram resgatados em São Francisco de Itabapoana, no Norte Fluminense, e soltos nesta sexta-feira (16) em uma área de mata preservada da região.

O gambá foi encontrado em um hortifruti, na área central do município, e resgatado por agentes da Secretaria de Meio Ambiente de Defesa Civil (Sema-DC).

Já o ouriço-cacheiro estava dentro de uma residência na localidade de Imburi, o resgate foi feito pelo Departamento de Correição de Animais. De acordo com a unidade, o ouriço-cacheiro, que usa como defesa destacar os espinhos, acabou ferindo o cão da residência onde foi encontrado.

“Após a análise ambiental da Sema-DC avaliar que os animais estavam em condições de serem reintroduzidos à natureza, ambos foram postos em liberdade nas imediações da Estação Ecológica Estadual de Guaxindiba (EEEG)”, explica a Secretária de Meio Ambiente e Defesa Civil do município, Luciana Soffiati.

De acordo com a chefe do Hospital Veterinário da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf), Helena Hokamura, encontrar estes animais têm sido cada vez mais comum porque os empreendimentos têm invadindo as áreas consideradas habitats destes animais. “Não existe uma análise prévia de impacto ambiental. É preciso preservar essas áreas verdes. É importante também não deixar cães e gatos criados soltos nas áreas de matas, a caça é proibida”, alerta a professora.

Ouriço-cacheiro estava dentro de uma residência na localidade de Imburi, em São Francisco de Itabapoana. (Foto: Divulgação)

Ainda de acordo com Helena, apesar de não estarem em seu habitat natural, alguns animais silvestres acabaram se adaptando ao meio urbano. “No caso do gambá, por ser omnívoro, ele se alimenta de pequenos animais, como os escorpiões. São verdadeiros lixeiros, mas muitas pessoas, por preconceito, ainda assim acabam atacando estes animais”, explica a Helena Hokamura.

Canal Verde

Caso algum morador do município se depare com animais silvestres, a recomendação é acionar o Canal Verde, através do telefone 9.8161-6713, a fim de que os agentes da Sema-DC realizem o resgate.

“Não se deve tentar resgatar o animal, já que ele pode se sentir ameaçado e atacar a pessoa. Também é importante não maltratar e nem matá-lo, contribuindo para a preservação da fauna silvestre”, ressaltou a Secretária de Meio Ambiente e Defesa Civil do município, Luciana Soffiati.

Fonte: G1