Familiares fazem campanha de doação de sangue para Luís Gustavo Póvoa

Dentista passou por duas cirurgias após ser atropelado. Recuperados de Covid-19 podem doar; ENTENDA

Geral
Por Roberta Barcelos
21 de setembro de 2020 - 11h10

Familiares e amigos iniciaram uma campanha de doação de sangue para o dentista Luís Gustavo Ramos Póvoa, de 42 anos. Ele está internado no Hospital da Unimed, em Campos, onde passou por duas cirurgias após ser atropelado na última sexta-feira (18), enquanto corria na avenida Nilo Peçanha, no Parque Santo Amaro.

As doações podem ser feitas rua Visconde do Itaboraí, 402, no Núcleo Transfusional da Unimed. Todos os tipos sanguíneos são bem vindos.

Para doar é preciso: 

  • Estar em boas condições de saúde;
  • Ter entre 16 e 69 anos;
  • Pesar acima de 50 kg;
  • Ter dormido pelo menos 6 horas nas últimas 24 horas;
  • Estar alimentado (evitar alimentação gordurosa nas quatro horas que antecedem a doação);
  • Apresentar documento original com foto;
  • Homens devem aguardar um intervalo de 60 dias para repetir a doação (no máximo quatro doações em 12 meses); e as mulheres, 90 dias (no máximo três doações em 12 meses).

Doação pós-Covid 19

Pessoas diagnosticadas com Covid-19 ainda podem doar sangue, segundo o médico Pedro Augusto Rodrigues Caldas, responsável pela triagem clínica da unidade móvel do Hemocentro Regional de Campos. Porém, é preciso aguardar um “período de segurança” de 30 dias, a contar da recuperação completa para pacientes sintomáticos, ou do resultado positivo, para assintomáticos.

Entenda
Luis Gustavo estava praticando corrida no acostamento da avenida Nilo Peçanha quando foi atingido por um Chevrolet Prisma de cor branca e placa LRW-1652, dirigido por M.S.E.

O dentista foi socorrido pelo Corpo de Bombeiros e levado para o Hospital Ferreira Machado (HFM). De lá, ele foi transferido em estado grave para o Hospital da Unimed, onde passou por cirurgia no antebraço e na coluna.