IDEB: IFF Guarus e Centro tiveram as piores notas no Ensino Médio

Escola estadual de Santo Eduardo e Ciep de Poço Gordo tiveram melhores desempenhos no segmento

Geral
Por Redação
15 de setembro de 2020 - 20h08

Secretaria de Educação de Campos (Fotos: Carlos Grevi)

O Ministério da Educação divulgou, nesta terça-feira (15), o resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) relativo ao ano escolar de 2019. Veja as notas mais altas e mais baixas das escolas públicas de Campos.

Ensino Fundamental (Anos Iniciais)

Notas mais baixas – O Ciep Arnaldo Rosa Viana, no Parque Aurora, administrado pela Prefeitura de Campos teve a nota mais baixa da cidade, entre as escolas de Ensino Fundamental (Anos iniciais). O Ciep ficou com nota 2,7. A segunda nota mais baixa do segmento ficou para a Escola Municipal Francisco Faria Barbosa, no Parque Aldeia, em Guarus, com nota 3,3.

Notas mais altas – Com pontuação 6,2, a escola Municipal Carlos Jardim da Cruz, na localidade de Espírito Santinho, Zona Rural do município, alcançou o topo na avaliação, entre as escolas de Campos. Em segundo lugar, ficou a Escola Municipal Olavo Alves Saldanha Filho, com 6,0. A escola fica localizada no distrito de Santo Amaro.

Ensino Fundamental (Anos Finais)

Notas mais baixas – O Colégio Estadual Notival Pedro Moll, na localidade de Rio Preto teve a nota mais baixa de Campos, entre as escolas de Ensino Fundamental (Anos Finais), com 2,9; Em seguida, aparece a Escola Municipal Wilmar Cava Barros, com nota 3,1, a segunda mais baixa de Campos.

Notas mais altas – Já o Colégio Estadual Constantino Fernandes, no Jóquei Clube, tirou a nota mais alta entre as escolas de Ensino Fundamental (Anos Finais), com 5,0.A escola Municipal Olavo Alves Saldanha Filho, voltou a aparecer com nota alta. Neste segmento, ela ficou 4,9.

Ensino Médio (Indicador de Rendimento)

IFF Guarus teve o pior desempenho (Foto: Silvana Rust)

Piores notas – Os campi do Instituto Federal Fluminense (IFF) Guarus e Centro, tiveram os piores rendimentos na avaliação das escolas de Ensino Médio de Campos. O IFF/Guarus teve nota (indicador de rendimento) de 0,64 e o IFF/Centro teve 0,68.

Melhores notas – Neste segmento, o melhor desempenho ficou com o Colégio Estadual Estefânia Pereira Pinto, no Distrito de Santo Eduardo, com nota 1,0. O desempenho dela já era bom na última avaliação, em 2017, com pontuação 0,93.
A segunda escola com bom resultado foi o Ciep Nação Goitacá, em Poço Gordo, na Baixada Campista, com pontuação 0,99.

O Jornal Terceira Via entrou em contato com a Prefeitura de Campos, Secretaria Estadual de Educação e Assessoria de Comunicação do IFF e aguarda posicionamento das instituições sobre o baixo rendimento na avaliação do IDEB.

Sobre o IDEB
Ideb é o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica, criado em 2007, pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), do Ministério da Educação, formulado para medir a qualidade do aprendizado nacional e estabelecer metas para a melhoria do ensino.

O Ideb funciona como um indicador nacional que possibilita o monitoramento da qualidade da Educação pela população por meio de dados concretos, com o qual a sociedade pode se mobilizar em busca de melhorias. Para tanto, o Ideb é calculado a partir de dois componentes: a taxa de rendimento escolar (aprovação) e as médias de desempenho nos exames aplicados pelo Inep. Os índices de aprovação são obtidos a partir do Censo Escolar, realizado anualmente.

As médias de desempenho utilizadas são as da Prova Brasil, para escolas e municípios, e do Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb), para os estados e o País, realizados a cada dois anos. As metas estabelecidas pelo Ideb são diferenciadas para cada escola e rede de ensino, com o objetivo único de alcançar 6 pontos até 2022, média correspondente ao sistema educacional dos países desenvolvidos.

Nota Prefeitura de Campos: 

A nota do IDEB se constitui através de duas variáveis: proficiência (nota do SAEB) e fluxo escolar (porcentagem de aprovação da escola). É importante notar que número elevado no segundo quesito não significa qualidade de ensino, com a aprovação automática sendo utilizada por diversos municípios ao redor do país enquanto subterfúgio para aumento da nota. No caso do CIEP Arnaldo Vianna quando se compara sua ultima medição, em 2015, pode-se perceber aumento na nota de língua portuguesa – a maior de todas as medições desde 2005, mas a menor taxa de aprovação considerando o mesmo período – 50%.  A mesma queda no fluxo escolar se observa no caso da escola Francisco Faria Barbosa quando comparado em relação ao ano de 2017.
No caso da EM Prof Wilmar Cava Barros, os dados apontam para crescimento da nota em relação a medição de 2017. É importante ressaltar que o processo de reconstrução de uma rede educacional como a de Campos passa por medidas longitudinais, cujos resultados só serão sentidos no médio prazo.