Diocese de Campos prepara celebração do padroeiro nesta quinta

No Dia de São Salvador, acontecem missas na Catedral com agendamento, carreata e apresentação de banda

Religião
Por Redação
5 de agosto de 2020 - 14h44

Missas acontecerão na Catedral com agendamento e distanciamento (Foto:Carlos Grevi)

Apesar da pandemia, a Diocese de Campos realizará a 368ª Festa do Santíssimo Salvador, padroeiro de Campos, na Catedral, com regras de distanciamento físico e todos os cuidados necessários para evitar contágio do novo coronavírus. Nesta quinta-feira (6) acontecem diversas missas e uma carreata. Os músicos da Banda da Guarda Civil Municipal se apresentam às 18h. Logo após, o bispo Dom Roberto Ferreria concederá a tradicional bênção. Um cortejo de veículos com a imagem do Santíssimo Salvador acontecerá a partir das 19h.

Bispo Roberto Francisco (Reprodução)

A programação é diferente da tradicional. Porém, a inspiração de fé no Santíssimo Salvador segue igual, segundo os organizadores. As missas com celebrações na Catedral acontecerão nos horários de 6h30, 8h, 10h, 13h, 15h e 17h. A Santa Missa Solene será realizada às 10h. Como há limitação de fiéis dentro do templo por causa da pandemia de Covid-19, é necessário ligar para a secretaria da Catedral para agendamento e confirmação de presença. Os interessados devem acessar o número (22) 2722-3864 para definir horários das celebrações.

A tradicional Corrida Ciclística de São Salvador este ano não acontecerá no Dia do Padroeiro. Os organizadores da prefeitura e da Federação de Ciclismo do Rio de Janeiro estudam uma outra data até o fim de 2020 a ser confirmada.

Doceiras de Campos participam do virtual Festival do Doce (Foto: Reprodução)

Outro evento tradicional da Festa de São Salvador, o Festival do Doce, desta vez só acontecerá de modo virtual. Doceiras da cidade prepararam um cardápio de diferentes doces para ser vendido por telefone ou links no Instagram. A doceira Dayse Souza Cruza diz que a data não pode passar em branco.

“Temos muitos pedidos. Esta é uma forma de valorizarmos o nosso trabalho, agradar ao público e honrar a nossa tradição, pois somos patrimônio vivo da cidade”, conclui.