Região pode atrair 20 bilhões em investimentos no mercado de gás

Segundo Firjan, Norte Fluminense deve aplicar valores em infraestruturas essenciais para o escoamento, tratamento e transporte de gás natural

Economia
Por Redação
4 de agosto de 2020 - 14h20

Parque da Petrobras em Cabiúnas, Macaé (Foto: Petrobras/Ilustração))

O Gás Natural tem papel estratégico na retomada econômica pós Covid-19. É o que mostra o estudo “Rio a todo gás” elaborado pela Firjan. O documento traz propostas para destravar investimentos em gás natural, que podem alcançar até R$ 45 bilhões no estado. Só no Norte Fluminense, o volume de investimentos pode chegar a R$ 20 bilhões, aplicados em infraestruturas essenciais para o escoamento, tratamento e transporte do gás natural, além de plantas de consumo industrial, como por exemplo, no segmento de fertilizantes e siderurgia.

O Rio é o maior produtor brasileiro do energético e o gás natural assume fundamental importância como combustível estratégico na retomada econômica do país e do estado, principalmente no pós-pandemia. A região Norte Fluminense é o segundo maior polo de produção de petróleo e gás do Brasil e terá um novo ciclo de desenvolvimento com a revitalização dos campos maduros da Bacia de Campos.

Segundo o estudo da Firjan, a capacidade de geração termoelétrica a partir do gás natural no Norte Fluminense pode quadruplicar nos próximos 5 anos, podendo ultrapassar a marca de 10 térmicas a serem instaladas na região. Estão em desenvolvimento projetos em Macaé e no Porto do Açu para instalação de terminais de GNL (Gás Natural Liquefeito) e UPGNs (Usinas de Processamento de Gás Natural) além de gasodutos de escoamento.

Porém, para destravar esses investimentos é preciso uma agenda de ações de curto prazo. Entre elas, estão a concreta implementação da regulamentação do mercado livre de gás natural pela Agenersa (Agencia Reguladora de Energia e Saneamento Basico do Estado do Rio de Janeiro). Já na esfera federal, é necessária a aprovação do Novo Marco Regulatório, a chamada Nova Lei do Gás.

A Câmara dos Deputados aprovou, por 323 votos favoráveis a 113 contrários, o regime de urgência para o projeto de lei 6407/2013, que estabelece o novo marco legal. Se aprovada, a legislação vai facilitar o acesso das empresas privadas ao segmento de escoamento e transporte do gás natural, o que deverá aumentar a concorrência e reduzir os preços do produto.

Esses são passos importantes para viabilizar a expansão do consumo de gás natural no Brasil e no estado do Rio e prometem contribuir para consolidar a posição fluminense nesse mercado, em especial a região Norte Fluminense, que deve se estabelecer como um importante hub de gás no país.

Fonte: Firjan