Campos tem número de óbitos preocupante. Alta já era sentida desde a semana passada

Registros de 35 mortes nos últimos cinco dias (de 23 a 27 de julho), contra nove no período anterior, de 18 a 22

Guilherme Belido Escreve
Por Guilherme Belido
28 de julho de 2020 - 15h08

Matéria que antecedeu a esta postagem, publicada também no jornal impresso, chamou a atenção para a alta no número de óbitos registrados entre 17 e 24 de julho – comparado com o mesmo período de julho: seis mortes a mais.

Ocorreu que os boletins de sábado (25) e domingo (26)  revelaram curva ascendente dentro do próprio mês de julho: dezessete mortes entre os dias 23 a 26 (4 dias) contra oito no período imediatamente anterior a este, também de 4 dias, de 19 a 22 de julho. Portanto, mais que o dobro de mortes.

Ontem (27), o Departamento de Vigilância em Saúde informou em seu boletim 18 novos óbitos, sendo 13 homens e cinco mulheres. O número de mortes é o maior desde o início da pandemia e, em registros diários, eleva para 35 o número de mortes nos últimos cinco dias, de 23 a 27 deste mês.

Possivelmente em razão do súbito aumento no número de óbitos, o boletim epidemiológico ressalvou – entre outros esclarecimentos – que “a divulgação de número de óbitos não se refere a óbitos ocorridos apenas nas últimas 24 horas.” Destacou, ainda, ter realizado “uma concentração de esforços para atualizar o número efetivo de óbitos das últimas semanas.”

A partir dos informes de hoje e dos próximos dias será possível ter maior clareza sobre o quadro de mortes pelo novo coronavírus no município.