Parque Lage reabre depois de quatro meses fechado

Reabertura é gradual e respeita regras da flexibilização dos decretos do município e do Governo do Estado

Estado do RJ
Por ASCOM
11 de julho de 2020 - 10h29

(Foto: Divulgação/Governo do Estado do Rio de Janeiro)

Um dos principais espaços ao ar livre da cidade do Rio de Janeiro, o Parque Lage reabriu as suas portas após quase quatro meses fechado como medida preventiva de combate ao contágio do novo coronavírus. A reabertura está sendo gradual, respeitando as regras da flexibilização dos decretos do município e do Governo do Estado, publicados no mês passado e também das autoridades de saúde. Ainda há diversos pontos de restrições, como a Escola de Artes Visuais, que segue com aulas somente on-line.

Após diversas reuniões, o Parque Lage — um equipamento da Secretaria de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio (Sececrj) — passou a contar com um plano de reabertura, respeitando todas as medidas de saúde. O funcionamento é das 10h às 16h, de segunda-feira a domingo. Os cuidados começam logo na entrada principal, a única que está funcionando. Os visitantes só podem entrar com máscaras e têm a temperatura aferida. Há um limite de 200 pessoas acessando o parque por hora.

“Os espaços estão reabrindo com base em diversos estudos de segurança para garantir o bem-estar de todos, dos funcionários aos visitantes. Para isso, sempre estamos dialogando com todos os setores para fomentar uma cultura segura nesse período em que ainda enfrentamos a pandemia do novo coronavírus”, conta Danielle Barros, secretária de Estado de Cultura e Economia Criativa do Rio.

Os funcionários estão utilizando Equipamentos de Proteção Individual (EPI) para manter todos os ambientes higienizados. Há também pontos para que visitantes utilizem álcool em gel. O Quiosque Plage também voltou a funcionar, mas deve seguir regras, como distanciamento entre consumidores e materiais descartáveis para o consumo, além de outras medidas de saúde.

“Queremos deixar de recado para os visitantes é que eles são muito bem-vindos, nós queremos que eles venham e participem do Parque Lage. Cada cidadão tem o seu papel nessa preservação, usando seus equipamentos de proteção individual e não criando aglomeração, sendo um cidadão para si e para o outro”, disse Yole Mendonça, presidente da escola de Artes Visuais do Parque Lage.

Um dos principais pontos procurados pelos turistas, o Palacete terá entrada de visitantes monitorada por funcionários dotados de contadores, limitando-se a entrada de 100 pessoas por vez. Não será permitida a permanência de visitantes nas rampas da entrada e os espaços de espera dentro do pátio para fotos na piscina será delimitado. O restaurante e as lojas seguem as mesmas recomendações.

Outros pontos turísticos dentro do Parque Lage não vão reabrir neste momento para evitar aglomeração. O acesso à Capelinha, Grutas, Aquário, Parque Infantil, Cavalariças e áreas de piquenique estão lacrados com o uso de fitas. Também está proibidao a realização de confraternizações, eventos e piqueniques em áreas abertas da unidade, assim como o trânsito de veículos motorizados – exceto prestadores de serviços, entrega de materiais e funcionários.

Fonte: Governo do Estado do Rio de Janeiro