Hospital de campanha, fiscalização da Câmara e tecnologia em destaques

O jornalista Aloysio Balbi comenta algumas das notícias mais importantes da semana

Coluna do Balbi
Por Aloysio Balbi
6 de julho de 2020 - 0h01

Na mira da Lava Jato

O Núcleo de Combate à Corrupção – Força-Tarefa da Lava Jato no Rio – está firme nas investigações sobre os hospitais de campanha anunciados pelo Governo do Estado do Rio e desativados mesmo antes de serem abertos, como é o caso do montado em Campos. O anúncio de que o hospital aqui foi apenas um efeito espuma, deixa o governo do estado em uma situação ainda mais difícil. Se é que isso seja possível.

Na mira do Legislativo

A Câmara Municipal instituiu um grupo de trabalho para fiscalizar e acompanhar a situação de abandono do hospital de campanha de Campos, que nem deve mais ser inaugurado… Foram nomeados os vereadores Genásio, Abu e Jairinho é show para atuação em um período inicial de um mês para apresentar relatório conclusivo sobre o tema que é um mistério para todos.

Fazendo a coisa certa

Fazendo um pequeno balanço sobre a reabertura parcial do comércio, iniciada no último dia primeiro, o presidente da CDL, José Francisco Rodrigues, disse que os lojistas estão seguindo à risca os protocolos de segurança para seus colaboradores e fregueses. A entidade divulgou os 21 itens relacionados a este protocolo. José Francisco acredita que a flexibilização irá avançar se todos colaborarem com as medidas de prevenção contra a pandemia, e aos poucos todos buscando o que se convém chamar de novo normal.

Deu a maior onda

A rapaziada do surfe deitou e rolou neste final de semana, em razão das grandes ondas nas praias da região, principalmente em Farol de São Thomé. Apesar do frio, encararam um mar atraídos por ondas consideradas perfeitas, entre três e quatro metros de altura, como também foram registradas em Saquarema e em algumas praias da cidade do Rio, como o Leblon. Foi uma curta pandemia de grandes ondas.

Oremos

No andar da pandemia, o Ministério Público do Rio recebeu dezenas de denúncias contra igrejas e locais de culto de diferentes matrizes religiosas em todo o estado. As denúncias eram referentes a igrejas que não fecharam em momento algum. Isso aconteceu no Rio, Duque de Caxias, Volta Redonda, Barra do Piraí, Araruama, Resende, Niterói, Nova Iguaçu, Cabo Frio e Campos. Oremos.

Empresa Jr. da Uenf (Foto: Divulgação)

Empresa Júnior da Uenf

Fundada em 2015, a Soul Code, empresa júnior de tecnologia e inovação da Uenf, formada por alunos do curso de Ciência da Computação está mudando o contexto da universidade. Realizou a Semana Acadêmica, onde se discutiu novas tecnologias com o objetivo de adquirir a experiência exigida pelo mercado de trabalho. Nas universidades públicas do Rio e demais capitais, as empresas juniores desenvolvem projetos para a iniciativa privada. O empresariado de Campos deveria prestigiar essas iniciativas.

Cidade organizada

A Postura Municipal continua firme em sua missão de ordenar a cidade de Campos. O órgão não para de notificar proprietários de veículos abandonados em via pública para removê-los, sob pena de multa e até apreensão. Também estão notificando com muita frequência, donos de terrenos para providenciarem limpeza, manutenção e fechamento dos acessos. Na última semana, a Postura visitou bairros como Parque Imperial, Leopoldina, Guarus, Rosário, Joquei e Lapa.

Nomeação

Rosana Juncá – a manda-chuva das escolas particulares de Campos – foi nomeada semana passada para o cargo de diretora executiva da Superintendência de Trabalho e Renda, órgão vinculado à Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico. Quando a pandemia chegar ao fim haverá muito trabalho a ser feito para reverter o desemprego e a crise econômica.