Candidíase: como tratar?

Em alta quantidade, a cândida acaba produzindo toxinas que podem atingir a corrente sanguínea

Saúde
Por Natália Muniz Saúde Integral
2 de julho de 2020 - 15h35

A candidíase causa desconfortos às mulheres, mas há tratamentos adequados

A Candida albicans, nome do fungo causador da Candidíase sempre veste várias máscaras e por isso é difícil de diagnosticá-la. A Candida albicans é um organismo que pode existir de duas formas. Uma é o fermento que se reproduz através da fermentação dos açúcares presentes no estômago e nos intestinos. Outra é o micélio, parte do fungo que invade as células e os sistemas do corpo, deixando toxinas que provocam reação das células imunológicas. Isso resulta em estresse metabólico, deficiências nutricionais e insuficiência hepática, provocando e desgastando o sistema imune e confundindo a ação de enzimas e hormônios essenciais para a vida.

Algumas situações comuns

-Você coloca uma calça ou um vestido mais apertado. mas não se sente confortável nunca porque está sempre inchada na barriga;
-Você está escovando o seu cabelo e de repente surge uma ansiedade do nada – que você não faz ideia de onde veio;
-Ao levantar muito rápido do carro você sente uma tontura inexplicável;
-Quando você chega na festa você evita falar muito pertinho das pessoas porque está sempre preocupada se está com mau hálito ou não;
-Você come bem devagar porque é possível que sinta refluxos e tenha que dar uns pequenos “arrotos” depois de comer;
-Quando você coloca a sua língua pra fora você percebe que ela é toda branca; .

Como se vê, a cândida quando em alta quantidade no corpo acaba produzindo toxinas, que no organismo pode atingir a corrente sanguínea e produzir uma vasta gama de sintomas que se manifestam principalmente em cinco áreas do nosso corpo.

-Sistema digestivo: Gases, refluxo, diarreia alternada com constipação, dificuldade de absorver minerais como o ferro .
-Sistema nervoso: dificuldade de concentração, fadiga anormal, alteração súbita de humor, depressão;
-Trato urinário: infecção urinária e sensação de urina ácida; .
-Sistema Endócrino: hiper ou hipotireoidismo, principalmente os de origem auto imune: .
-Pele: micoses, eczemas

Natália Muniz é nutricionista e colunista do Jornal Terceira Via

Soluções
Quando começar a tratar a candidíase, precisa-se de uma intervenção multifacetária que vai além de apenas excluir os principais itens comestíveis que “alimentam” a cândida.

Tratar pode ser incrivelmente frustrante, mas é assegurado que o tratamento através de uma alimentação e suplementação específica é muito efetivo. Pacientes que trataram a candidíase, e, de repente, perderam muito peso, curaram alergias e ficaram livres de depressão. Pois a cândida, pode causar tudo isso.

O que não comer (por 60-90 dias)

Açúcar e alimentos que resultam em fermentação, exemplo: Vinho e cerveja, Cogumelos, Lácteos (iogurtes, queijos, whey), Fermentos (pães; massas; bolos); Frutas secas e limão.
A cândida sobrevive basicamente dos açúcares da nossa alimentação. Seu ideal é que a gente coma geleia de manhã, almoce sorvete, jante biscoitos com queijo e coma mil balas, biscoitos e chocolates nos intervalos. Como esse tipo de comida desnutre, vamos matando células que a cândida engole para ficar bela e prolífica. Portanto, para começar a se livrar dela tem que dar menos alimentos para ela.

Alguns suplementos importantes 

-Fórmulas manipuladas que devem conter ferro, cobre, biotina, zinco, selênio, B6, vitaminas C, E e betacaroteno;
– Ácido caprílico;
– Alho, cru ou cápsulas de óleo de alho;
– Lactobacilos / Probióticos (Candida Support)
– Corrigir a Vitamina D

Para entender mais, procure ajuda de um bom profissional.