Casais à distância no Dia dos Namorados

Em tempos de pandemia e isolamento social, o desafio é driblar a saudade

Geral
Por Roberta Barcelos
12 de junho de 2020 - 11h34

O ano de 2020 tinha tudo para ser especial para os casais apaixonados que costumam comemorar o Dia dos Namorados. A data vai ser comemorada numa sexta-feira e tem na véspera o feriado de Corpus Christ. Ou seja, se não estivéssemos no meio de uma pandemia, certamente teríamos viagens programadas, motéis, hotéis, restaurantes lotados e muitos casais passeando por aí. Para não deixar a data passar em branco, será necessário usar a criatividade para criar o clima romântico em tempos de isolamento social.

Mariana e Mateus estão cumprindo isolamento social à risca (Foto: arquivo pessoal do casal)

O casal Mariana Ribeiro e Mateus Tavares namoram há 4 anos e 9 meses e esta será a primeira vez que eles vão passar a data distantes. Os estudantes de Direito, estão há 3 meses cumprindo isolamento social à risca. A decisão foi em comum acordo já que os dois têm pessoas do grupo de risco na família e não quiseram expor os parentes. Sendo assim, estão planejando comemorar a data em outra oportunidade quando tudo voltar à normalidade.

“Atualmente, nos falamos o tempo inteiro, mas por mensagens, além disso, sempre estamos cozinhando na quarentena, é uma coisa que amamos, já ensinei várias receitas a ele, assistimos a nossas aulas on-line da faculdade normalmente e ficamos todo tempo em casa, só saímos para o necessário”, conta Mariana. O maior desafio para os casais que estão em casas separadas e já somam meses convivendo com a distância é conseguir driblar a saudade.

“Esses dias assistimos um filme juntos (mas separados) e combinamos um horário para darmos o play no mesmo instante” lembrou Mariana.

Camille e João durante uma vídeo chamada pra matar a saudade (Foto: arquivo pessoal do casal)

Além dos namorados, tem casais já casados que também vão experimentar um Dia dos Namorados diferente este ano. É o caso da pedagoga  Camille Auatt de 28 anos e do engenheiro João Machado de 30. Foram namorados por 10 anos e há quase 4 anos estão casados.  O João trabalha embarcado, e a Camille, em janeiro deste ano, decidiu aproveitar a oportunidade de uma bolsa para doutorado na cidade de Winnipeg, no Canadá e só retorna em Julho. Em fevereiro, o João foi visitá-la e passou uma semana com a esposa. Em março, o casal se viu pela última vez em Toronto e de lá pra cá, com a pandemia do coronavírus o casal agora só se vê por vídeo chamada.

“A gente se fala todo dia para tentar amenizar a distância, mas no geral, estamos levando bem. Com saudade, claro, porém levando com leveza o período afastado”, revela Camille.

O companheirismo é um dos princípios básicos para um relacionamento duradouro e para o casal que já experimenta a vida de dividir o mesmo teto, enfrentar uma situação tão atípica como essa ficou mais fácil.

“Quando eu quis tentar essa bolsa, João foi meu maior incentivador, então acho que isso ajuda bastante. Ele sabe que isso é importante pra mim. Na verdade, por sermos companheiros, é importante para nós” lembrou Camille.