IFF produz pias móveis para uso coletivo

O projeto de extensão "Mãos Limpas" busca facilitar a higienização das mãos em locais com passagem e circulação de pessoas

Geral
Por ASCOM
22 de maio de 2020 - 15h20

Contribuir com a prevenção à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus e, por consequência, melhorar a qualidade de vida das pessoas. Esse é o foco da ação “Mãos Limpas”, que disponibiliza lavatórios móveis em ambientes de passagem e circulação de pessoas, facilitando, assim, a lavagem das mãos, atitude amplamente recomendada pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

O projeto de extensão, criado pelo Instituto Federal do Mato Grosso (IFMT) e cedido ao Instituto Federal Fluminense (IFF) para execução, soma-se às inúmeras iniciativas de mobilização por parte das instituições públicas de ensino brasileiras em busca de soluções que auxiliem no enfrentamento da pandemia (confira o MAPA DE AÇÕES e a NOTÍCIA que tratam de outras atividades realizadas pelo IFF para prevenção e combate ao novo coronavírus).

O diretor de Internacionalização e Inovação do IFFluminense, professor Henrique da Hora, explica como o Instituto teve acesso à iniciativa. “O reitor Jefferson Manhães soube do trabalho realizado no Centro-Oeste do Brasil e me acionou para se informar quanto à possibilidade de execução. Então entramos em contato com o IFMT, que nos cedeu o projeto. Com doações, compramos o material, e o servidor Revair Mendes construiu um lavatório móvel com auxílio do pessoal de serviços gerais do Campus Campos Centro, com cerca de quatro horas de trabalho”.

Essa primeira pia móvel foi instalada no supermercado Superbom, localizado no Parque Tarcísio Miranda (Jockey), em Campos dos Goytacazes, “para uso gratuito por todos que por ali passam, e está fazendo sucesso, sendo bastante útil”, comemora Henrique.

A escolha da localização foi motivada pela grande quantidade de pessoas que circulam por dia pelo supermercado, o que facilita bastante o acesso ao lavatório para higienização das mãos.

A produção de outras unidades a partir de então, quando houver demanda, estará a cargo das empresas juniores Lignum e Aurea, do IFF Campi Guarus e Campos Centro, respectivamente, que vão trabalhar juntas, provavelmente no laboratório do canteiro de obras do curso de Edificações. “Achamos melhor passar a produção para as empresas juniores, pois elas têm flexibilidade de receber custeio, emitir nota, etc.”, avalia Henrique. O projeto para construção dos lavatórios também foi enviado aos Campi Macaé e Avançado João da Barra.

Como funcionam as pias móveis

O sistema, embasado no conceito de autossustentabilidade, possui dois reservatórios com capacidade de 50 litros cada, um com água limpa e o outro para descarte da água de esgotamento, ou seja, aquela já utilizada para higienização das mãos, e que pode servir para outras finalidades, como lavar o chão, por exemplo. Os reservatórios são bombonas que foram utilizadas por uma indústria de suco e adquiridas numa revenda. A estrutura, que acomoda os recipientes e a pia, é de baixo custo, construída em MDF.

O restante é uma instalação sanitária comum. “Do ponto de vista técnico, é um sistema bem simples, que consiste num reservatório de água, ligado a uma pia, e a pia ligada a outro reservatório”, conclui Henrique da Hora.

Outra vantagem do lavatório móvel é que o conjunto possui rodinhas, para tornar mais prático e rápido o rodízio, a mudança para ambientes próximos, para pontos mais acessíveis a um maior número de pessoas.

A intenção é espalhar a pia móvel para vários outros espaços da cidade. Os interessados em adquirir o sistema, entregue pronto para uso, devem entrar em contato com a Diretoria Comercial da empresa júnior Aurea, por meio do telefone (22) 998155-7383 (Ana Carolina Paes) ou da Lignum pelo telefone (22) 99868-2107 (Lorena Brandão) ou então pelo e-mail lignumambientaljr@gmail.com.