Saúde mental é tema de pesquisa durante a pandemia em Campos e Macáe

UFRJ e programa municipal de Saúde na Escola iniciam investigação sobre o comportamento

Ciência
Por Redação
6 de maio de 2020 - 18h12

Integrantes do PSE participam do estudo com pesquisadores da UFRJ (Fotos: SupCom)

Dando continuidade às pesquisas sobre a saúde da população durante a pandemia do Coronavírus, o Programa Saúde na Escola (PSE) de Campos, em nova parceria com o Núcleo de Estudos em Saúde e Nutrição na Escola (NESANE) do campus Macaé da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), iniciou uma análise sobre as mudanças na rotina das pessoas e o impacto na saúde mental. A pesquisa, realizada por psicólogas, visa orientar futuras políticas públicas de promoção da saúde e prevenção do adoecimento.

Até o momento, cerca de 200 questionários já foram respondidos. A ideia da pesquisa surgiu a partir dos atendimentos virtuais que estão sendo realizados pelo PSE, a Escuta Voluntária, feita por psicólogas da rede municipal no instagram do programa (@psecamposrj).O PSE Campos é realizado pela Prefeitura, através das secretarias municipais de Saúde e de Educação, Cultura e Esporte (Smece).

“Diante da crise instalada mundialmente, através da pandemia do COVID19, entendemos que a leitura que faremos numa breve amostra da mudança na rotina e no comportamento da população Norte-Fluminense, nos ajudará a compreender o contexto atual e promover possíveis reflexões no nosso modo de existir”, explicam as psicólogas Silvia Nascimento e Pâmela Nogueira do PSE.

De acordo com a professora Naiara Sperandio, do Curso de Nutrição da UFRJ Macaé e uma das coordenadoras do NESANE, a pesquisa possibilitará o planejamento de ações para auxiliar o desenvolvimento de estratégias de cuidado diante das queixas apresentadas.

Para a Coordenadora do PSE, Catia Mello, com o surgimento da Covid-19, houve uma mudança brusca na forma como a sociedade atual tem se organizado, sendo necessário reinventar o Programa ampliando seu campo de atuação e desenvolvendo pesquisas que nortearão diretrizes e políticas públicas baseadas nesta nova realidade.

“Além deste projeto, destacamos a Escuta Voluntária que é feita por psicólogas e aberta a toda população, durante a pandemia do Coronavirus. A proposta é oferecer um apoio emocional baseado na oferta de atenção e aconselhamento para as pessoas por meio de chamadas ao vivo pelo Instagram do programa em horários definidos. A escuta foi ampliada e é realizada pelas psicólogas da rede municipal Pâmela Nogueira e Silvia Nascimento, apoiadas pelas profissionais Amanda Freitas, Amanda de Souza Caetano, Cassia Cristhine, Dea Dilza, Gabriela Teixeira, Lúcia Brasil e Mirella Souza Costa”, salienta Cátia.

Em abril, o PSE iniciou uma outra pesquisa, sobre saúde alimentar no contexto do isolamento social. Até o momento, 942 questionários foram preenchidos. A medida, também em parceria com a UFRJ-Macaé, tem o objetivo de, a partir dos resultados obtidos, produzir materiais que estimulem práticas saudáveis.