Literatura campista está em adaptação para versão em quadrinhos

Jornalista e ilustrador Cássio Peixoto promove financiamento coletivo para lançar "Na terra dos heréos"

Cultura
Por Ulli Marques
28 de abril de 2020 - 15h38

* LITERATURA EM QUADRINHOS

O desejo de adaptar uma obra genuinamente campista para os quadrinhos a fim de valorizar a produção literária local e reforçar laços de identidade foi o que impulsionou o jornalista e quadrinista Cássio Peixoto a lançar, em 2013, duas revistas com alguns dos causos contados na trilogia Na Terra dos Heréos, do escritor nascido na Baixada,Waldir Pinto de Carvalho.

À época, as HQ foram às bancas como aditivos de um jornal local e chamaram a atenção dos leitores. Agora, anos depois, o projeto foi ampliado: a ideia é compilar esses quadrinhos e mais uma história inédita em edições especiais e definitivas. Para isso, Cássio lançou uma campanha de financiamento coletivo no Catarse e conta com o apoio dos campistas. “Esse é um projeto muito importante para a cidade de Campos porque objetiva resgatar as obras de um escritor tão querido quanto Waldir que de forma simples e com linguagem popular registrou personagens e histórias da nossa terra. Acredito que o campista sente essa necessidade de identificação e recordar esses livros com uma nova roupagem é uma maneira de conseguirmos isso”, declarou Cássio que assinou a adaptação, o projeto gráfico e a  diagramação/editoração eletrônica dessa edição especial por meio do coletivo de quadrinhos Mucufo; já os desenhos são de autoria do ilustrador também nascido em Campos, Glauco Torres.

* LITERATURA EM QUADRINHOS

Aqueles que apoiarem o projeto receberão edições impressas em capa cartonada ou em capa dura (para quem escolher a edição de luxo) com 62 páginas de quadrinhos, em tamanho 23cm x 17cm; as histórias que já haviam sido publicadas ganharão nova diagramação e novo layout e essa
edição definitiva ainda contará com depoimentos, desenhos inéditos e uma história extra sobre a Festa de Santo Amaro.

O valor inicial do livro é de R$35,00, mas, além da edição, os apoiadores ainda poderão receber pôsteres, livros originais de Waldir Pinto de Carvalho, molduras, prints diversos e ecobags do Arquivo Público Municipal que leva o nome do autor campista. Financiamento Coletivo Esse financiamento tem sido a alternativa de muitos artistas para publicar suas obras e não terem prejuízos financeiros. Funciona da seguinte maneira: os apoiadores escolhem uma das recompensas ofertadas e pagam um valor antecipado por elas. Quando o projeto é efetivado, esses que o apoiaram recebem em suas casas a obra e, caso tenha, os demais itens prometidos como recompensa pela contribuição antecipada.

O projeto Na Terra dos Heréos em Quadrinhos foi orçado em $ 10 mil, sendo que 13% do valor serão destinados à plataforma Catarse; 37% para o envio dos livros, recompensas e trabalho de edição; e 50% da quantia serão utilizadas para a impressão das edições especiais e de luxo. “O nicho de mercado dos quadrinhos é muito restrito e, além do mais, poucas pessoas ainda preservam o hábito da leitura e o costume de comprar livros. Por isso essa alternativa tem sido buscada até mesmo por editoras. Lançar uma HQ é uma ‘brincadeira’ muito cara. Não dá para fazer sozinho. Por isso, os próprios artistas e aqueles que gostam desse tipo de arte e de produto, sempre apoiam esses  projetos de financiamento coletivo. Confesso que está difícil bater a meta, mas estou esperançoso”, declarou Cássio.

* LITERATURA EM QUADRINHOS

Trilogia Na Terra dos Heréos
Os três livros da coletânea Na Terra dos Heréos foram publicados nas décadas de 1980 e 1990 em edições artesanais. Todas as histórias ali narradas
se passam na Baixada Campista e trazem referências e linguagens típicas dos moradores do lugar com muito bom humor. Essas características que motivaram Cássio a escolher os causos de Waldir Pinto de Carvalho para adaptar aos quadrinhos.

Quando foram às bancas, as duas revistas chamaram a atenção dos leitores devido à qualidade e ao respeito à obra original. “Coloquei algumas referências da cultura pop, alguns trocadilhos a fim de atrair um público mais jovem, mas, sobretudo, respeitei a obra do autor. Cerca de 98% do texto está exatamente como nos livros”, disse Cássio.

Uma das filhas de Waldir e detentora dos direitos de suas obras, a também escritora Walnize Carvalho, agradece o carinho pela obra do pai. “Representando toda minha família, expresso o sentimento de felicidade e gratidão ao Cássio por idealizar esse projeto que é uma forma de valorizar a obra do meu pai, um campista que tanto amou essa terra”, disse.

Biografia

Waldir Pinto de Carvalho nasceu no distrito de Santo Amaro, em 27 de julho de 1923 e faleceu em 31 de dezembro de 2007. Por muitos anos trabalhou produzindo esquetes para programas de rádio e foi cronista de importantes jornais de Campos. Ao longo de sua carreira, Waldir escreveu 24 livros, entre eles as trilogias “Na Terra dos Heréos” e “Gente que é nome de rua. Hoje, Waldir Pinto de Carvalho dá nome ao Arquivo Público Municipal de Campos dos Goytacazes, onde parte de sua obra, mobiliário e fotos estão em exposição.