Polícia procura por jovem acusado de esquartejar esposa em Itaperuna

Matheus Moreira Soares é considerado foragido; Ele chegou a ser detido e liberado, mas Justiça expediu mandado de prisão

Região
Por Redação
30 de março de 2020 - 15h05

 

Matheus Moreira Soares encontra-se foragido da Justiça (Foto: Reprodução)

O jovem Matheus Moreira Soares, de 20 anos, que foi indiciado por esquartejar e queimar partes do corpo da esposa em Itaperuna, no Noroeste Fluminense, está foragido da Polícia Civil. Ele tinha sido preso na sexta-feira (27) suspeito de matar Desiree Silva Campos, de 23 anos, mas foi solto depois que a Justiça entendeu que ele não estava em flagrante delito e relaxou a prisão, após audiência de custódia realizada em um presídio de Campos.

Desiree Silva Campos, de 23 anos, foi morta pelo marido e teve partes do corpo escondidas em uma rua da zona rural de Itaperuna. Na noite de domingo (29), o Ministério Público do Rio de Janeiro recorreu da decisão e a justiça expediu um mandado de prisão temporária. Por esse motivo, Matheus voltou a ser procurado pela polícia.

A Polícia Civil informou que fez buscas pelo autor do crime mas, até a manhã desta segunda-feira (30), ele não foi encontrado. Segundo a investigação, Matheus confessou o crime e contou que “esquartejou os membros, o tronco e a cabeça da vítima para facilitar a retirada do corpo da casa. Disse também que escondeu as partes do corpo da vítima em sacolas plásticas e colocou em um carrinho de mão. E que escondeu os membros na estrada do Avaí, em vários pontos”.

A Polícia Civil disponibilizou o telefone (22) 3822-7700 para denúncias. Caso alguém tenha informações sobre o paradeiro de Matheus pode entrar em contato com a Delegacia de Itaperuna. O anonimato é garantido.

Imagem da vítima Desiree Silva Campos extraída de uma rede social

Inicialmente, o caso foi registrado como “encontro de cadáver” na manhã de sexta-feira (27), depois que partes de um corpo humano foram encontradas na Estrada do Avaí, próximo ao Bairro Cehab, zona rural de Itaperuna. Segundo a polícia, após surgirem informações de que uma mulher do bairro estava desaparecida há dois dias, por não ter comparecido ao trabalho, a polícia então deu início às investigações. Durante a investigação, a policia descobriu que o marido dela teria sido visto saindo da casa com sacos plásticos cheios, em um carrinho de mão. Pessoas do bairro também relataram brigas entre o casal na noite anterior.

Ao ser questionado sobre a situação, segundo a polícia, o homem afirmou que a esposa “decidiu ir embora por problemas no relacionamento do casal”. Mas, após uma perícia na casa do casal, foram encontrados muitos “vestígios de material semelhantes a sangue”. Segundo a polícia, “ele confessou que esquartejou os membros, o tronco e a cabeça da vítima para facilitar a retirada do corpo da casa. Disse também que escondeu as partes do corpo da vítima em sacolas plásticas e colocou em um carrinho de mão. E que escondeu os membros na estrada do Avaí, em vários pontos”.

Nos locais indicados, de acordo com a polícia, só não foram encontrados a parte de cima do tronco e a cabeça da vítima. Ainda segundo a polícia, foram localizados também os instrumentos utilizados no crime. O caso foi registrado na 143ª DP.

Fonte: G1 Norte Fluminense