EDITORIAL | Mais transparência na pandemia 

O papel da imprensa é fundamental para atualizar os casos de coronavírus

Editorial
Por Editorial
17 de março de 2020 - 17h09

É natural que em um momento totalmente atípico vivido em todo mundo, com uma pandemia que assusta, as informações relativas a evolução do problema se comportem de acordo com a direção do vento. Isso potencializa o pânico que já foi inoculado na população, infelizmente.

Em Campos não é diferente, e os veículos de comunicação cumprem o seu papel de noticiar o registro de casos suspeitos desde que eles deem entrada em qualquer estabelecimento da área de Saúde.

Felizmente, muitos casos suspeitos não se configuram, não entrando nas estatísticas. Porém, isso não tira o mérito nem a importância da informação, e isso tem como exemplo clássico o que aconteceu com o Presidente Jair Bolsonaro, que fez o exame para identificar o coronavírus e deu negativo. A imprensa anunciou a suspeita e a não confirmação do caso após o devido exame.

O mesmo aconteceu com o técnico do Flamengo, Jesus. A imprensa anunciou a suspeita de que ele contraiu o vírus e depois anunciou que o caso foi confirmado.

O papel da imprensa é fundamental nestes casos com erros e acertos. Também é fundamental, para que os acertos sejam maiores e para isso as autoridades de Saúde devem ser mais transparentes, se esforçando para emitir informações seguras, quer na rede pública ou privada.

O simples fato de não confirmar nem desmentir, já induz a possibilidade de erro. A população está ávida de informações sobre esse grave momento da humanidade e se orienta pela imprensa. Que os gabinetes de crises optem pela plena transparência, pois até aqui a informação correta tem sido o melhor remédio.