Coluna do Balbi: BC liquida financeira que operava em Campos

A Dacasa Financeira está instalada na rua Santos Dumont, área central

Economia
Por Aloysio Balbi
27 de fevereiro de 2020 - 18h20

Dacasa Financeira; imagem registrada nesta quinta-feira (27) após expediente bancário  (Fotos: Carlos Grevi)

O Banco Central decretou a Liquidação Extrajudicial da Dacasa Financeira e da corretora de valores Uniletra Corretora de Câmbio, Títulos e Valores Mobiliários. As duas empresas financeiras faziam parte do Grupo Dadalto. A Dacasa Financeira operava com uma filial em Campos, na rua Santos Dumont, número 68, Centro.

O comércio parou de operar com os cartões da Dacasa. Ainda não se sabe que tipo de sequelas a operadora de empréstimo pode ter causado nas pessoas que operavam com ela.

O motivo alegado foi o “risco anormal aos credores”. “Considerando a grave situação patrimonial, as graves violações às normas legais que disciplinam a atividade da instituição, bem como a existência de prejuízos que sujeitam a risco anormal os seus credores”, diz o texto publicado pelo Banco Central.

Ainda de acordo com o BC, o liquidante nomeado é  Eduardo Felix Bianchini, e a o termo legal de liquidação extrajudicial, fica datado de 15 de dezembro de 2019.

A Dacasa está no mercado há 35 anos e conta com  49 lojas, distribuídas no Espírito Santo, Rio, Bahia e Minas. Segundo o site da financeira,  mais de  três milhões de clientes têm produtos da empresa, que em seu portfólio  há empréstimo pessoal, o crédito direto ao consumidor (CDC),  empréstimo consignado e cartão.

Por meio de nota, a assessoria de imprensa informou que, conforme orientações do liquidante nomeado pelo Banco Central, as lojas da Dacasa Financeira funcionarão normalmente para recebimento dos boletos e novos empréstimos a serem concedidos pela Portocred. Os trâmites necessários em decorrência da situação serão divulgados oportunamente nos sites das respectivas empresas.