Cidade quase vazia

Imagem pouco comum: a 28 de Março sem nenhum movimento

Guilherme Belido Escreve
Por Guilherme Belido
25 de fevereiro de 2020 - 11h44

Av. 28 de Março totalmente vazia na tarde de segunda-feira (24)

Mesmo em se tratando de uma segunda-feira de carnaval, e levando em conta o tempo parcialmente nublado desde a tarde de sábado – o que desestimulou muita gente a se deslocar para as praias da região –, não deixa de ser relativamente surpreendente que uma avenida de grande fluxo como a Vinte e Oito de Março exibisse movimento perto de zero na maior parte do dia.

Isso, tendo em vista, ainda, que o supermercado localizado na esquina da 28 com rua dos Goytacazes – que via de regra atrai bom número de consumidores – permaneceu aberto, circunstância que por si só deveria favorecer o movimento nos arredores.

A explicação talvez esteja no fato de que a fatia da população que não costuma viajar nos dias de Momo – preferindo reunir amigos para um churrasco, tomar uma cervejinha nos bares abertos ou ir ao shopping – com o tempo predominantemente cinzento, até com algum friozinho, optou mesmo por ficar em casa, o que, em tese, explica o esvaziamento, em especial no entorno das áreas centrais.

Curioso notar que as praias mais próximas, sobretudo Grussaí e Atafona, nos primeiros dias de carnaval estiveram bem cheias, mas não tão lotadas como se viu nos anos anteriores.