Mutirão de cirurgia com técnica inovadora atende pacientes do SUS no Hospital Dr. Beda

Procedimento, que ainda não está disponível na saúde pública, foi realizado gratuitamente

Saúde
Por Redação
7 de dezembro de 2019 - 12h16

Mutirão realizou cinco cirurgias gratuitas neste sábado (Foto: André Santo)

Este sábado (7) foi especial para um grupo de pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS) que teve a chance de participar de uma ação social realizada no Hospital Dr. Beda, em Campos dos Goytacazes. O mutirão de cirurgia chamado de “Full Endoscopia de Coluna” trouxe ao município dois médicos que são referência na América Latina em cirurgia com a técnica “Endoscopia Minimamente Invasiva”. Apesar de o procedimento ainda não estar disponível pelo SUS, os cinco pacientes que participaram da ação passarão a ter uma melhor qualidade de vida, livres das incômodas dores causadas por problemas na coluna, como a hérnia de disco. A ação também teve caráter instrutivo, com a participação de cirurgiões dos estados do Rio de Janeiro e do Espírito Santo, que puderam se familiarizar com o método envolvendo alta tecnologia.

Um dos articuladores da ação social, Evandro Henrique Ribeiro, sócio da Trindade Medical, explicou que a iniciativa aconteceu em parceria com o Hospital Geral Dr. Beda, por iniciativa dos próprios médicos.

“Infelizmente esta técnica ainda não está disponível pelo SUS, por ser relativamente nova no Brasil. Por isso esta ação é tão importante, pois trouxe a Campos dois profissionais que são referência na América Latina e cirurgia minimamente invasiva”, destacou.

Antônio Roth Vargas, um dos pioneiros da técnica no país (Foto: André Santo)

Um dos instrutores do grupo foi o neurocirurgião do Hospital Centro Médico de Campinas, Antônio Roth Vargas, um dos médicos pioneiros da Endoscopia Minimamente Invasiva no Brasil. Ele enfatiza que o método desenvolvido na Alemanha é bem mais rápido do que uma cirurgia convencional. Em vez de durar até três horas, leva cerca de 40 minutos.

“O procedimento é todo feito por um pequeno orifício no paciente, ou seja, não há necessidade de cortes na pele, o que diminui drasticamente as chances de infecção hospitalar. Esse risco é quase zero. Além disso, no mesmo dia o paciente recebe alta e volta para casa”, comentou o especialista.

O ortopedista André Calderaro também participou do Mutirão (Foto: André Santo)

Ortopedista do Centro Ortopédico Valqueire, André Luiz Calderaro também foi instrutor dos procedimentos realizados neste sábado, no Hospital Geral Dr. Beda. O especialista reiterou que a técnica é extremamente avançada, principalmente, em relação aos métodos praticados nos centros cirúrgicos dos hospitais públicos. Esta foi a primeira ação Full Endoscopia de Coluna no município, mas Calderaro adiantou que a ideia é dar sequência ao mutirão em 2020.

“O mutirão realizado neste sábado foi uma oportunidade para pacientes do SUS, que não têm acesso a essa tecnologia. Por meio do Hospital Dr. Beda e da Trindade Medical conseguimos trazer para Campos este evento, que também teve a participação de cirurgiões de coluna da região”, pontuou.

Técnica ainda não está disponível no SUS (Foto: André Santo)

De acordo com o neurocirurgião do Hospital Geral Dr. Beda, Eduardo Piassi, os procedimentos mais avançados realizados nos grandes centros do país e do mundo já são feitos no Beda. “A gente já pratica a Endoscopia Minimamente Invasiva já há cerca de um ano e meio e os resultados são empolgantes, principalmente, em relação à recuperação do paciente. Uma cirurgia bem menos invasiva para tratar, por exemplo, a dor causada pela hérnia de disco. O procedimento causa menos dor e deixa uma cicatriz de apenas meio centímetro. O Hospital Dr. Beda tem dado essa contrapartida para que o corpo médico possa desenvolver esse tipo de cirurgia, com tecnologia avançada, moderna. Podemos dizer que nosso hospital não é menor que qualquer outro, pois desenvolvemos aqui as mesmas cirurgias que outra unidade em qualquer parte do mundo”, finalizou.