Manifestantes protestam na Beneficência Portuguesa, em Campos

Atraso de pagamento de salários é uma das reclamações; hospital reconhece a dívida e culpa a prefeitura por não repassar verbas

Saúde
Por Redação
31 de outubro de 2019 - 13h46

Funcionários protestam por salários atrasados (Fotos: Silvana Rust)

Funcionários do Hospital Beneficência Portuguesa de Campos fizeram uma manifestação no início da tarde desta quinta-feira(31) em frente à unidade. Eles protestam contra  o atraso de salários e falta de infra-estrutura para realizar as atividades. Por cerca de uma hora, o trânsito foi bloqueado no trecho onde fica o hospital na Rua Barão de Miracema.

De acordo com a direção da Beneficência, os pagamentos estão sofrendo atrasos há quase três meses por falta de repasse da Prefeitura de Campos.

Há duas semanas, diretores dos quatro hospitais contratualizados que prestam serviço pelo SUS na cidade, entraram com uma representação no Ministério Público Estadual. Eles querem uma intervenção judicial para receberem cerca de R$15 milhões que deixaram de ser pagos nos últimos 90 dias.

No protesto desta quinta-feira, diretores das quatro unidades se juntaram aos funcionários da Beneficência Portuguesa para protestarem contra o poder público municipal. Faixas e cartazes chamaram à atenção com críticas e reclamações sobre a situação da saúde em Campos.

Em nota, a Prefeitura de Campos informou que está realizando um amplo estudo para revisão dos contratos atuais para que se adequem a realidade financeira atual da gestão. “Todo processo de renegociação dos repasses será apresentado e analisado junto aos hospitais contratualizados”, informou a nota.

Ainda segundo a prefeitura, na última terça-feira (29), o secretário municipal de Saúde, Abdu Neme, foi recebido pelo secretário estadual de Saúde, Edmar Santos, no Rio de Janeiro, a fim de buscar apoio para a complementação municipal aos hospitais contratualizados. Após o encontro, o secretário disse que o Governo do Estado está disposto a ajudar no cofinanciamento, mas que necessita de informações detalhadas sobre o funcionamento do serviço em Campos e para isso foi marcada uma reunião na próxima quarta-feira (06) solicitada pelo secretário estadual com a direção dos hospitais.

Diretores de hospitais também participaram da manifestação

 

A Polícia Militar foi acionada para acompanha a movimentação