IFF conquista primeiro curso de doutorado profissional

A Capes autorizou a pós-graduação em Meio Ambiente e Recursos Hídricos para funcionar em 2020

Educação
Por ASCOM
9 de outubro de 2019 - 16h15

Sede do IFF Campus Centro (Fotos Silvana Rust)

O Instituto Federal Fluminense (IFF) ofertará seu primeiro curso de doutorado profissional, em Modelagem e Tecnologia para o Meio Ambiente Aplicadas em Recursos Hídricos (AmbHidro). A aprovação do curso foi divulgada pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) nesta quarta-feira (9). A previsão é de que ele seja oferecido no Campus Campos Centro, já no 1.º semestre de 2020.

Com a aprovação do doutorado, o IFF passa a atuar em todos os níveis e modalidades da Educação Profissional e Tecnológica (EPT), possibilitando uma formação completa e verticalizada aos estudantes, na área de Meio Ambiente, com cursos de Formação Inicial e Continuada (FIC), técnico, de graduação, especialização, mestrado e doutorado.

“É um grande feito da nossa instituição. A aprovação deste doutorado amplia as possibilidades do nosso Instituto em sua atuação nacional e permite uma verticalização do ensino que poucos países do mundo oferecem em sua rede de educação profissional e tecnológica”, destaca o reitor do IFF, Jefferson Manhães de Azevedo.

Reitor do IFF, Jefferson Manhães (Foto: Reprodução)

O pró-reitor de Pesquisa, Extensão e Inovação do IFF, Vicente de Oliveira, destaca que a aprovação do doutorado é resultado de um trabalho em equipe, com participação de diversas instituições – IFF, Uenf, Uerj, UFF e Inea – sob a coordenação da Diretoria de Pós-graduação do Instituto. “Poderemos formar recursos humanos especializados e realizar pesquisas voltadas para recursos hídricos das regiões dos Lagos, Norte e Noroeste Fluminense”.

Para o biólogo do Instituto Estadual do Ambiente (Inea) e docente colaborador do doutorado, Leonardo Bernardo Campaneli, o curso vem suprimir uma deficiência de mão de obra qualificada para trabalhar a gestão de recursos hídricos nas regiões Norte e Noroeste Fluminense. “A deficiência hídrica tem crescido constantemente na região conforme diversos livros e artigos acadêmicos publicados sobre o tema. Só profissionais altamente qualificados poderão atuar na solução dos problemas complexos que envolvem os usos múltiplos da água nesta região que está inserida na Bacia Hidrográfica de maior densidade populacional do Brasil”, pontua o professor.

O doutorado também visa atender demandas existentes nas unidades de conservação e nas regiões hidrográficas do estado do Rio de Janeiro, bem como a realização de estudos tecnológicos e de modelagem focados na solução de problemas de qualidade e quantidade de água para as atividades portuárias e oceânicas.

O diretor-presidente do Comitê de Bacia da Região Hidrográfica do Baixo Paraíba do Sul e Itabapoana (CBHBPSI), João Gomes de Siqueira, diz que “vem apoiando todas as iniciativas de levantamento e análise das nossas águas para que tenhamos um grande retrato da nossa região, para que possamos adotar as melhores ações que efetivamente possam revitalizar todos os corpos hídricos do Baixo Paraíba do Sul. Um novo campo se abre com a aprovação do primeiro doutorado em recursos hídricos do IFF, isso só vem somar com as instituições que o município de Campos já tem nessa linha de pesquisa”, afirma.

O doutorado profissional possui duas linhas de pesquisa: Modelagem para Meio Ambiente Aplicada a Recursos Hídricos e Tecnologia para Meio Ambiente Aplicada a Recursos Hídricos. A previsão é de que o edital de seleção para o curso seja divulgado ainda este ano.