Câmara de Campos sedia audiência pública da Saúde

Relatório da Secretaria Municipal de Saúde apresentou dados comparativos de 2015 a 2019

Geral
Por Redação
30 de setembro de 2019 - 14h03

Audiência Pública da Saúde em Campos começou pela manhã (Fotos: Silvana Rust)

A Câmara de Vereadores de Campos sediou na manhã desta segunda-feira (30), a primeira etapa da audiência pública para apresentação do Relatório de Gestão da Secretaria Municipal de Saúde, referente ao segundo quadrimestre deste ano, com a participação do secretário Abdu Neme. Durante a tarde, a sessão prossegue com informações sobre a prestação de serviços do setor. A subsecretrária Cintia Ferrini foi a primeira a se pronunciar. Ela relatou alguns dados técnicos de investimentos. Entre outros temas, citou sobre reformas das unidades básicas de atendimento.

Durante a apresentação de representantes da Secretaria de Saúde, vários vereadores fizeram uso da palavra e questionaram as informações transmitidas.  O líder do governo, Paulo Genásio, e o presidente da presidente da Comissão de Defesa da Saúde, Enock Amaral, receberam os relatórios da gestão do governo que comparou dados atuais com os da administração passada, referentes aos anos de 2015, 2016, 2017, 2018 e os oto primeiros meses de 2019. Foram destacadas as áreas de Atenção Básica, Saúde Mental,  Programas Especiais Vigilância em Saúde.

Cintia Ferrini da Secretaria de Saúde apresentou dados comparativos de 2015 a 2019

De acordo com o vereador Claudio Andrade, o primeiro passo foi dado e muita coisa aconteceu na atual gestão da Saúde em Campos. Porém, segundo ele, o município ainda está muito longe de chegar ao mínimo necessário para dar qualidade de vida à população. Ele defendeu a participação popular em audiências públicas.

“A presença da população é importante.  As informações têm que ser passadas pelos profissionais de forma muito clara e acessível. Se for usada uma linguagem técnica, as pessoas virão aqui, assistirão e não entenderão nada. Então, além de mostrar os avanços, os profissionais e representantes da Secretaria de Saúde devem ser muito claros. O usuário do serviço de saúde que sofre com a dificuldade de realização de um exame, que fica na fila do Hospital, essas pessoas precisam ser capazes de compreender as complexidades da administração. E, para que elas saibam tanto o que tem sido feito de bom, quanto o que ainda precisa melhorar”, comentou Cláudio.

Audiência prossegue no horário da tarde desta segunda-feria (30)

Vereadores de oposição ao governo, como Eduardo Crespo, também tiveram oportunidade de ser manifestar e discutir sobre acesso à informação.

“Temos solicitado a abertura de uma comissão parlamentar de inquérito para investigar a Saúde. Não temos muito acesso à informação. Tenho sentido meu mandato muito prejudicado pela falta de informação oficial do governo, o que é imprescindível para que possamos avançar.  A sociedade reclama da falta de saúde de qualidade, o Conselho de Medicina faz vistoria nos hospitais com denúncias graves. Temos uma saúde cara com recursos-recorde de mais de R$ 800 milhões. A audiência é importante. Não resolve tudo, mas é necessária. Campos é temum corpo técnico fantástico e responsável, mas a gente não tem saúde que funciona”, considera Crespo.