Autoridades de saúde alertam contra o sarampo em Campos

As doses da vacina para o público da faixa etária indicada estão disponíveis nos postos de saúde do município

Geral
Por Letícia Nunes
11 de setembro de 2019 - 15h54

Vacinação

Os casos de sarampo no Brasil chegaram a mais de 2.750, segundo o Ministério da Saúde. Até o momento, quatro mortes foram confirmadas pelo órgão oficial. Devido ao surto da doença em alguns estados do país, a população deve ficar em alerta e procurar os meios de prevenção adequados. Em Campos, não há nenhum caso registrado da doença, desde 2007, quando foi implementado o Sistema de Informação de Agravos e Notificação (Sinan), mas a vacinação está sendo intensificada para o público-alvo, na faixa etária de 6 meses até os 49 anos, sendo de 6 meses a 11 meses e 29 dias começou este mês conforme estratégia definida pelo Ministério da Saúde.

O objetivo é interromper a cadeia de transmissão e a proteger da saúde dos campistas. O médico pediatra, Dr. Oldemar Leite, explica que o sarampo é uma doença transmitida por um vírus e, embora não frequentemente, pode ter evolução bem grave. “Devemos ficar atentos aos primeiros sintomas que são febre, tosse, secreção nos olhos, coriza, congestão nasal, cansaço e dor no corpo. Estes sinais estão, inclusive, presentes no curso de outras viroses. No quarto ou quinto dia de evolução podem surgir lesões avermelhadas (exantema) na face e atrás da orelha que não coçam, mas logo se espalham pelo corpo e se tornam bem visíveis. Se no surgimento das manchas a febre persistir pode ser um sinal de gravidade, principalmente, em crianças com menos de 5 anos”, explica.

O especialista declara que a transmissão do vírus do sarampo de quatro dias antes a quatro dias depois do aparecimento dos primeiros sintomas e se faz pelo contato direto, ou seja, ao tossir, espirrar, tocar,respirar próximo, sendo altamente contagioso. “Quando falamos em sarampo não existe tratamento. Usa-se medicamentos para aliviar os sintomas. A única maneira de evitar a doença é a vacinação. Quem tiver comprovado ter sido vacinado com duas doses da vacina, não precisa ficar preocupado, pois já está imunizado para o resto da vida. Caso não tenha certeza se foi ou não imunizado, é preciso procurar um posto de vacinação para atualizar o Cartão de Vacinação. O importante é frisar que o sarampo é uma doença que pode levar ao óbito, por isso a importância da vacinação”, alerta.

A vacina tríplice viral está disponível em mais de 40 salas de vacinação no município de Campos, incluindo a sede da Secretaria de Saúde, localizada na Rua Voluntários da Pátria, 875, no Centro. A dose também previne contra rubéola e caxumba. A diretora de Vigilância em Saúde, da Secretaria Municipal de Saúde, Andréya Moreira, afirma que a medida é necessária para proteger os bebês e consequentemente as suas famílias. “Além desta dose, os pais devem levar os filhos para tomar a vacina tríplice viral (D1) aos 12 meses de idade (1ª dose); e aos 15 meses (2ª dose) para tomar a vacina tetra viral ou a tríplice viral + varicela, respeitando-se o intervalo de 30 dias entre as doses. A vacinação de rotina das crianças deve ser mantida independentemente de a criança ter tomada a “dose zero” da vacina”, explicou Andréya lembrando que em casos de viagem para o estado de São Paulo, onde os casos de sarampo são maiores, é preciso tomar a vacina 15 dias antes do embarque.

O secretário de Saúde, Abdu Neme, contou que o município segue a recomendação do Ministério da Saúde, e que não há motivos para à população do município se apavorar. “O sarampo estava erradicado no país há algum tempo e neste ano voltou. Estamos fazendo uma intensificação para o público alvo”, informa.

Estado do RJ em alerta

Devido ao surto de sarampo em São Paulo, a Secretaria de Estado de Saúde está em alerta, pois o Rio de Janeiro é um potencial corredor da doença devido à proximidade. Este ano, o estado registrou 13 casos da enfermidade. Em 2018, foram alcançados 95% de cobertura vacinal para o público-alvo, sendo notificados 20 casos de sarampo.

Doses extras
O Ministério da Saúde já enviou aos estados 1,6 milhão de doses extras da vacina contra o sarampo, mas anunciou a compra de 28,7 milhões de doses adicionais, o que deve garantir o abastecimento do país até 2020. Ainda sim, estima-se  que 39.927.094 brasileiros não estejam vacinados, conforme dados da Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS/OMS). O sarampo ganhará destaque na tradicional campanha de vacinação do ministério em outubro.