Crianças colocam a mão na massa e reformam praça pública

Estudantes colocam a mão na massa e repaginam espaço onde agora tem até uma gangorra adaptada para cadeirantes no Pq. Rosário

Campos
Por Redação
8 de setembro de 2019 - 7h00

Praça revitalizada graças à iniciativa da comunidade do bairro (Fotos: Carlos Grevi)

Ajudar o próximo, melhorar o dia de quem precisa de uma palavra de incentivo e espalhar o bem. Com esses sentimentos, um grupo de cerca de 50 alunos do Externato Campista, em Campos, reformou uma praça pública na frente da escola, que fica no bairro Parque Rosário.

Os preparativos demoraram cerca de dois meses e a instalação na praça foi feita em uma tarde com os alunos divididos em grupos, de acordo com as tarefas. O local, que antes estava com diversas pichações e aspecto de abandono, agora ganhou novas cores, placas motivacionais, lixeiras seletivas e até uma gangorra adaptada para crianças cadeirantes.

Para o estudante Pedro Lucas, de 11 anos, a atividade deixou uma lição. “Aprendi que nós podemos mudar a vida dos deficientes com algumas atitudes. Eu fiquei muito feliz por essa oportunidade em ajudar o próximo. Acho que quem passar por aqui vai ficar muito feliz também”, comentou.

A professora responsável pelo trabalho é a Mirian de Fátima, que leciona há poucos meses na escola e atua no Projeto Pleno, que propõe esse tipo de atividade aos estudantes. Segundo ela, a ideia surgiu após a proposta de os alunos fazerem uma visitação ao redor da escola com o objetivo de identificar quais os problemas poderiam ser solucionados.

“Chegamos à conclusão de que reformar a praça poderia ser uma boa ideia. Dividimos os alunos em grupos e cada grupo fazia uma tarefa. O objetivo do nosso projeto é conscientizar as pessoas a ter o olhar mais carinhoso, zelar e buscar essa ajuda, pois só assim teremos cidades educadoras pensando no bem estar e acessibilidade de todos. Depois de pronto, eles ficaram muito felizes e na saída da escola todos queriam trazer os pais para tirar selfie. Foi um trabalho em equipe que proporcionou essa transformação incrível”, comemorou.

Lara Rangel, 10 anos

E essa transformação foi sentida também pela aluna Lívia Ventura, de 11 anos. “Pra mim isso representa um amor ao próximo porque reformando essa praça, a gente não ajuda só a natureza, mas também todas as pessoas que passam por aqui todos os dias e a gente pode proporcionar uma alegria maior a essas pessoas. Estamos felizes porque conseguimos transformar essa praça em um lugar melhor”.

Lívia Ventura, 11 anos

Pedro Lucas, 11 anos

Quem também gostou do resultado foi a estudante Lara Rangel, de 10 anos. “Pensamos em ajudar cada pessoa. Tem o brinquedo para deficiente, tem as placas para deixar as pessoas mais felizes. A gente também quer influenciar outras escolas a fazerem isso e a ajudar o próximo”.

Diretor escolar Rodrigo Leite

Professora Mirian de Fátima

Para o diretor Rodrigo Leite, estes projetos ajudam a humanizar os alunos e fazer com que eles coloquem a mão na massa é uma oportunidade de aprenderem com a prática. “Os alunos vão precisar dessas qualidades mais humanizadas no novo desenho do mercado de trabalho. Antes, a educação era o professor falando e o aluno escrevendo, mas quando o aluno atua, ele aprende mais. Nosso objetivo é que eles sejam alunos diferentes. Quando os alunos participam de atividades como essa, eles têm um crescimento espontâneo, pois se sentem parte do processo.

Brinquedos com acessibilidade em outras praças – O vereador Cláudio Andrade (DC) propôs uma indicação legislativa no final do mês de agosto solicitando a instalação de brinquedos adaptados para crianças com deficiência (PCD) em locais públicos e privados de Campos. No pedido, o vereador sugere que os brinquedos adaptados sejam inseridos gradativamente, de acordo com disponibilidade financeira do município e que tenham placas de identificação. A indicação está em processo de tramitação na Câmara dos Vereadores de Campos. Após essa etapa seguirá para sanção do prefeito Rafael Diniz.