Agências dos Correios de Campos deixarão de existir

O fechamento de 24 postos de agências comunitárias do município faz parte do projeto de privatização da estatal pelo governo federal

Economia
Por Redação
28 de agosto de 2019 - 18h45

Sede dos Correios na Praça São Salvador, área central de Campos (Foto: Silvana Rust)

A empresa pública Correios e Telégrafos do Brasil é uma das 30 estatais previstas pelo governo Jair Bolsonaro para serem privatizadas nos próximos meses. Em diversas ocasiões, o ministro da Economia, Paulo Guedes, defendeu a venda das estatais para a iniciativa privada. Em Campos, 24 agências comunitárias dos Correios deixarão de funcionar. Nesta quarta-feira, foi o último dia de funcionamento dos Correios em Farol de São Thomé. O posto operava no prédio da Rodoviária local. Usuários, servidores e representantes da Prefeitura de Campos lamentaram o encerramento das atividades.

Ofício dos Correios enviado ao prefeito Rafael Diniz sobre fechamento dos postos (Reprodução)

Em junho, a direção dos Correios informou a Prefeitura de Campos sobre a previsão de fechamento das agências no mês de agosto em Baixa Grande, Beira do Taí, Campo Limpo, Conselheiro Josino, Dores de Macabu, Farol de São Thomé, Ibitioca, Lagoa de Cima, Marrecas, Morro do Coco, Murundu, Mussurepe, Ponta da Lama, Santa Maria, São Martinho e São Sebastião, entre outros locais.

Em nota, o governo municipal lamentou a decisão do governo federal. “Diante da proposta de privatização dos Correios que tem o monopólio do serviço postal no país, o Município busca sensibilizar a empresa federal para retomada do serviço à população. Os Correios encerraram o contrato neste mês de agosto. A nova realidade financeira do município o impossibilita de manter sozinho o funcionamento das agências neste momento. Todas as 24 agências foram atingidas pela medida”, informou.

Ana Lúcia Mayerhoffer mora em Farol de São Thomé e critica fechamento dos Correios (Foto: Arquivo Pessoal)

 

Moradora do Farol de São Thomé, a jornalista e professora Ana Lúcia Mayerhoffer confirmou que os correios fecharam as portas nesta quarta-feira (28). “Ficava na parte de cima da Rodoviária. Disseram que um veículo dos Correios virá buscar o que ficou de correspondência. Achei muito ruim a decisão, pois algumas correspondências iam direto para esse posto, e as pessoas iam buscar. O serviço já é precário, e agora vai piorar”, disse.

A empresária Vânia Lúcia é dona de uma pousada em Farol. Ela também criticou o fechamento do posto dos Correios. “Nos últimos tempos, sempre houve atraso na entrega das encomendas e cartas. Porém, com o fechamento, isso prejudica muita gente que mora no Farol”, concluiu.