#SomosTodosManu: o recomeço após vencer a leucemia

Mãe comemora a cura da pequena Manu, de dez anos, e a volta à rotina após meses de quimioterapia

Campos
Por Priscilla Alves
22 de agosto de 2019 - 14h50

“O pior já passou. Hoje, enfim, podemos dizer que a Manu não tem leucemia”. As palavras emocionadas são da mãe da pequena Manuela, que nos últimos meses ganhou espaço na mídia e nas redes sociais ao protagonizar a campanha #SomosTodosManu. O objetivo era buscar doações de sangue e recursos financeiros para o tratamento da pequena Manu, agora com dez anos. Nesta semana, ela volta aos poucos à rotina antiga. Manu já voltou para a escola e nesta quinta-feira (22) retorna ao balé, atividade que pratica desde os quatro anos de idade.

A primeira fase da quimioterapia acabou e agora a Manu, que era considerada paciente de baixo risco, segue com a fase de manutenção, que inclui medicamentos orais e dura cerca de um ano.

“Ela não teve sequelas e a gente está tentando aos poucos retornar a rotina que tinha antes, tudo isso com muito cuidado por causa da imunidade dela. Ela ficou muito feliz e a receptividade dos amigos foi muito boa, ela até ganhou uma festinha na escola. Agora ela está ansiosa para a aula de balé, que ela sempre gostou muito”, comentou Simone Crespo Morais, mãe da Manu.

Vibrante com a cura da filha, ela relembra os momentos difíceis dos últimos meses de tratamento.

Família comemora última injeção que a Manu recebeu no tratamento

“Pra mim é recompensador. O que a gente passou foi muito difícil, mas Deus estava conosco em todos os momentos e os amigos e familiares também não nos deixaram. Eu ficava 24h com a Manu nestes 10 meses de tratamento. Dentro do hospital a gente vê muitas crianças em situação até pior que do que a Manu e tudo isso mexe com a gente, mas o pior já passou e agora que o exame deu negativo para a doença, é só manter o acompanhamento, porque a gente já teve a vitória”, comemorou.

Importância para doação de sangue
Desde o início do tratamento da Manu, várias campanhas de doação de sangue foram feitas e muitas doações foram bem-sucedidas. Para Simone, é preciso destacar a importância deste gesto de bondade para salvar vidas.

“Às vezes a gente só vê a importância quando precisa, mas fazemos o apelo que as pessoas doem não só para aquele amigo que precisa, mas que doem sempre. Têm muitas pessoas que têm outros tipos de doenças e que precisam de doação de sangue todo dia. A gente sempre vai fazer campanha, sempre vai pedir. A pessoa não sabe o quanto de amor pode doar ao próximo quando doa sangue”, concluiu.

As pessoas interessadas em doar sangue podem comparecer ao Hemocentro todos os dias, inclusive finais de semanas e feriados, das 7h às 18h. O Hemocentro fica no Hospital Ferreira Machado (HFM). Para doar sangue é preciso apresentar documento de identidade com foto, ter boas condições de saúde, peso superior a 50 kg, idade entre 16 e 69 anos, não estar em jejum e não ter ingerido alimentos gordurosos nas últimas três horas. Menores de 18 anos devem comparecer com o responsável legal.

Leia também:
Amigos promovem campanha #somostodosManu para ajudar família da menina diagnosticada com leucemia
Campanha arrecada 60 bolsas de sangue e mais de R$ 9 mil com venda de rifas para Manuela
Campanha #somostodosManu tem mais um evento nesta segunda-feira, em Campos