Um espaço de expressão cultural é inaugurado nesta terça-feira

O Centro Cultural Abadá-Capoeira vai abrigar as manifestações populares de Campos

Cultura
Por Ulli Marques
13 de agosto de 2019 - 11h19

A partir desta semana, as manifestações culturais populares da região terão um espaço voltado para a seu fortalecimento e valorização. Será inaugurado nesta terça-feira (13), às 19h, o Centro Cultural Abadá-Capoeira, um local que, além de abrigar a sede do projeto homônimo, também deverá servir de apoio para outras iniciativas que tenham o mesmo intuito: promover a cultura em Campos por meio de trabalhos de cunho social.
Os festejos de inauguração do local — situado na Rua Benedito Queiroz, esquina com a Praça Monsenhor Severino, no Turf Clube — envolverão exposição de fotografias, apresentações de jongo, maculelê, forró e samba, ritmos que marcam a cultura popular de Campos, e, ao publico presente, também será oferecida uma feijoada, prato bem brasileiro.
Segundo o diretor do Abadá-Capoeira no município, professor Sérgio Algodão, esse Centro Cultural representa uma conquista que vem sendo almejada desde que o projeto foi instituído nesse formato social, há cinco anos.
“Além de sentirmos a necessidade de termos uma sede, também tínhamos a pretensão de abrir um espaço para a cultura de Campos, uma vez que essa é uma lacuna ainda aberta na cidade. São muitas as manifestações populares deste lugar que acabam relegadas por não haver um local destinado a elas. Esperamos que o Centro Cultural cumpra esse papel tão importante e urgente”, anunciou.
O espaço está aberto a parcerias e interessados em desenvolver trabalhos culturais e sociais no local podem procurar o projeto Abadá-Capoeira nas redes sociais facebook.com/abadacampos e instagram.com/espacoculturalabadacapoeira.

Projeto social

O Centro Cultural Abadá-Capoeira será, então, o ponto de apoio do projeto social de mesmo nome que acontece em sete bairros e localidades do município de Campos: Ururaí, Goitacazes, Centro, Penha, Turf, Parque Esplanada e IPS. Até então, esse projeto — que visa promover o esporte, a arte, a cultura e a cidadania — não possuía uma sede e acontecia somente em lugares públicos, como o Jardim São Benedito, ou cedidos por outras instituições como escolas, igrejas, vilas olímpicas municipais e associações. Agora, com um espaço próprio, a ideia é expandir as possibilidades de atuação, receber convidados de outros estados e países, participar de editais e promover atividades mais formais, como oficinas e cursos, que necessitavam de um local fixo para a realização.
Hoje, o Projeto Abadá-Capoeira tem aproximadamente 300 alunos matriculados. As aulas gratuitas são ministradas por cinco professores graduados nessa expressão cultural e marcial e acontecem de segunda a sexta-feira, a partir das 19h30. O horário foi escolhido a fim que de pessoas de diversas faixas-etárias possam participar, sendo permitida a matrícula a partir dos 12 anos.
Os alunos que se graduam por meio do projeto e têm o interesse de atuar como professores são encaminhados a escolas particulares que oferecem aulas de capoeira e, em contrapartida, contribuem para a manutenção do projeto social. “Essa é a nossa única exigência: que o aluno formado no projeto contribua para mantê-lo vivo”, explicou o professor que reitera a importância dessa iniciativa: “O esporte, de modo geral, pode ser o caminho para a emancipação e a ascensão social. Quando atrelado à cultura popular, ainda contribui para a conscientização da cidadania, manutenção da tradição e o reconhecimento identitário. Por isso precisamos valorizar projetos dessa natureza. Afinal, esse é o nosso objetivo”.

Encontro Internacional

No sábado seguinte, dia 17, acontecerá ainda o 2º Encontro Internacional Abadá-Capoeira em Campos, que reunirá representantes de diversas partes do Brasil e de países como Alemanha e Japão. O intuito do encontro é incentivar o intercâmbio cultural que já acontece desde que o projeto foi instituído.
“Esse intercambio com a Alemanha, por exemplo, é realizado há alguns anos. Alunos de Campos já passaram temporadas na Europa e, agora, com o Centro Cultural, poderemos também receber esses convidados estrangeiros”, explicou o professor Sérgio Algodão.
Neste dia, também será comemorado o 15º aniversário da Roda de Capoeira do Boulevard — que ocorre no Boulevard Francisco de Paula Carneiro, no Centro, sempre nos segundos sábados do mês — e o 17º batizado e troca de cordas dos alunos, que, neste sábado, acontecerá no CT Vida Ativa, na Avenida Arthur Bernardes, às 18h.

Abadá-Capoeira

A Associação Brasileira de Apoio e Desenvolvimento da Arte-Capoeira é uma organização sem fins lucrativos com representantes em todo território brasileiro e em mais de 60 países, divulgando a arte da capoeira e a cultura brasileira. Foi fundada em 1988 e desde então vem crescendo e contribuindo para constante evolução dessa expressão cultural e arte marcial.