Novo sistema de transporte de Campos: vans circulam só até sexta-feira

Já no sábado, ônibus voltam a assumir, de forma provisória, todas as linhas municipais

Campos
Por Redação
10 de julho de 2019 - 14h23

Vans não circularão mais a partir de sábado (Foto: Carlos Grevi)

O novo sistema de integrado de transporte público municipal, o Mobi Campos, entra em vigor no próximo sábado (13). Mas atenção: a sexta-feira (12) é o último dia de circulação das vans do transporte alternativo, já que, no dia seguinte, conforme anunciou a Prefeitura, os ônibus vão assumir todas as linhas urbanas e distritais. A medida, no entanto, é provisória e dura enquanto os permissionários habilitados por processo licitatório não ingressam no sistema alimentador, o que deve acontecer, de forma gradativa, nos próximos 30 dias.

A promessa da Prefeitura é de que cerca de 500 veículos, entre ônibus, micro-ônibus e vans, integrem o novo sistema de transporte público de Campos, quando ele estiver totalmente implantado. Nos próximos dias, um aplicativo, que tem o mesmo nome do sistema, será disponibilizado à população, por meio do qual o usuário poderá conferir horários e localização dos veículos.

Em coletiva de imprensa realizada na manhã desta quarta-feira (10), na sede da Prefeitura, o presidente do Instituto Municipal de Transporte (IMTT), Felipe Quintanilha, explicou que, já no sábado, todas as vans que operam na cidade serão substituídas por ônibus. Segundo Quintanilha, as três concessionárias autorizadas a operar pela licitação de 2013 vão aumentar o número de ônibus nas ruas para atender a demanda já a partir de sábado. As concessionárias são formadas pelas empresas Viação Cordeiro, Jacarandá, Rogil, São João, São Salvador, Siqueira e Turisguá. A operação dos ônibus nas linhas distritais será feita em caráter provisório, enquanto as vans e micro-ônibus não assumem as linhas alimentadoras.

“Neste final de semana, a partir do dia 13, os ônibus retomam todas as linhas da cidade, de maneira transitória. Esse período de transição, enquanto as vans não assumem o sistema alimentador, pode durar até 30 dias. Os permissionários têm até 15 dias para assinarem o contrato e outros 15 dias após a assinatura para apresentarem os veículos devidamente caracterizados, com a identidade visual do novo sistema”, esclareceu o presidente do IMTT.

Segundo Quintanilha a ideia do novo sistema é a coexistência entre ônibus e vans, já que ambos desempenham papeis diferentes. Ao contrário do sistema antigo, no qual transporte regular e transporte alternativo eram concorrentes. “Nós criamos uma integração na qual dois atores, que antes brigavam, passarão a ter que se ajudar. Em vez de termos ônibus e vans disputando espaço, criamos um sistema em que eles terão que cooperar para que ambos possam ganhar”.

Para dar suporte à saída das vans as empresas reforçarão o efetivo. De acordo com o presidente do IMTT, haverá reforço de 100% no número de veículos, totalizando 260 ônibus nos horários de pico.

“Esses veículos já existem, estavam nas garagens. Vivíamos até agora um círculo vicioso, com ônibus cada vez mais escassos, mas não por falta de veículos e sim por falta de viabilidade financeira. Só para se ter uma ideia, hoje, não chegam a 120, 130 ônibus rodando em horários de pico. Em horário normal, a gente não tem mais que 80 ou 90 ônibus circulando. Porque, hoje, o que acontece, é que

Quintanilha admite que o processo de transição pode ser complicado, já que também será o período de teste e ajuste do novo sistema. “Claro que teremos problemas neste início, que serão sanados o mais rápido possível. Isso é normal em qualquer período de transição”.

Vans e micro-ônibus — Após lançamento de edital para licitação de transporte alimentador e a realização do processo licitatório, as linhas distritais foram escolhidas, na última segunda-feira (8), tendo sorteio com critério de desempate. Segundo o IMTT, 235 permissionários foram habilitados. Ao todo, participaram 351 pessoas. Os 260 ônibus somados às 235 vans e micro-ônibus totalizam 495 veículos que integrarão o sistema após o período de transição de 30 dias.

Aplicativo — O lançamento do aplicativo Mobi Campos está previsto para sexta-feira (12). Ele permitirá ao usuário acompanhar, em tempo real, via GPS, os ônibus e vans que circulam na cidade. Segundo o presidente do IMTT, o aplicativo, disponível inicialmente para celulares com sistema operacional Android e via internet, contará com todas as sete empresas que operam no município. “Gradativamente, as 235 vans e micro-ônibus serão vistos no monitoramento, à medida que os novos veículos alimentadores forem apresentados para cadastro, adesivação e instalação de GPS”, destacou Quintanilha.

Integração — A integração entre linhas distritais (atendidas por micro-ônibus e vans) e linhas centrais (atendidas por ônibus) será feita em seis pontos espalhados pela cidade: BR-101 Shopping Estrada, BR-356 Furnas, RJ-158 Ambev, BR-101 Guarus – Dical e Parque Bela Vista.

Bilhetagem eletrônica — O passageiro que vem de alguma área distrital com destino a alguma área de bairro central pagará somente uma passagem. Isso será possível por meio do cartão de bilhetagem eletrônica, que fará a integração entre micro-ônibus ou vans, e esta integração será válida durante um período de tempo viável de acordo com a linha. Os cartões de bilhetagem serão vendidos, inicialmente, na rodoviária Roberto Silveira (Centro), no Shopping estrada e na sede da empresa de bilhetagem. A recarga poderá ser feita pela internet, por telefone, ou em um dos diversos pontos comerciais da cidade, que serão informados nas próximas semanas.

Leia também: Presidente do IMTT é alvo de ameaças de morte