Alunos de Travessão promovem passeata em homenagem à professora assassinada

Regiane Santos foi assassinada na quarta passada enquanto praticava atividades físicas de frente de uma academia

Campos
Por Redação
10 de julho de 2019 - 16h08

Uma escola particular onde a professora Regiane Santos, assassinada na quarta-feira passada, dia 3, dava aulas, está organizando um ato em homenagem a ela para esta quinta-feira (11) e contra o feminicídio. A concentração do ato será a partir das 14h, na frente da escola Peter Pan, que fica a Avenida Antônio Luiz da Silveira, nº 648. Outras três escolas que a professora também lecionava foram convidadas para participar da passeata. Alunos e funcionários estarão vestidos de branco e com faixas e cartazes.

“Vamos prestar essa homenagem para a professora Regiane. Ela sempre veio trabalhar com muita alegria e determinação e essa foi a marca que ela deixou aqui pra gente. A gente costuma falar que a dor dela a gente não conseguia nem perceber porque o sorriso dela exalava. A gente já sabia de algumas situações da vida pessoal dela, mas o sorriso dela não deixava transparecer o que ela sentia”, comentou a auxiliar administrativa Hosana Martins, que trabalhava com a professora.

O crime – Regiane foi morta após levar vários tiros na frente da academia onde praticava atividades físicas, também em Travessão. Antes de morrer, ela contou aos policiais militares que chegaram no local que o ex-marido, Paulo Rangel, foi o responsável pelos disparos. Dois dias após o crime, Paulo Rangel se entregou na 143ª Delegacia Policial (DP), em Itaperuna, no Noroeste Fluminense. Ele chegou à unidade acompanhado de um advogado e confessou ter matado a ex-mulher.