Após três casos de meningite e uma morte, presidários de Campos serão transferidos para Itaperuna

Visitas estão suspensas pela segunda vez até o dia 22 de junho; familiares dos detentos estão assustados

Geral
Por Redação
12 de junho de 2019 - 16h11

Mães de presidiários do Presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, se reuniram em frente ao Hospital Ferreira Machado (HFM), em Campos, na tarde desta quarta-feira (12) e se manifestaram contra os casos de meningite registrados na penitenciária e também sobre a falta de informação na unidade prisional.

Marivalda Porto Nogueira, de 54 anos, conta que está com o filho, Fernando Nogueira da Silva, de 32 anos, no isolamento do presídio há dez dias por ter apresentado sintomas de meningite. “Ele teve febre, dor no corpo e está muito mal, nem falando ele está. Levo medicamentos e não chegam até ele e também ninguém me informa como ele está. Só sei que o isolamento está cheio de presos com a saúde debilitada”, contou.

Ainda segundo Marivalda, um dos presidiários teve o estado de saúde agravado, no último sábado (8) e foi transferido para a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do HFM. “Não sabemos nem quem ele é. O nome não é divulgado. Fico pensando se seria o meu filho. O serviço social não mais nos atende e não temos quem olhe por nós”, lamentou.

A visita no presídio está interrompida pela segunda vez em menos de um mês. Em nota, a Secretaria Estadual de Administração Penitenciária (Seap), informou que todas as medidas protetivas para casos da doença foram imediatamente tomadas. O isolamento no Presídio Carlos Tinoco da Fonseca, em Campos, vai até o dia 22 de junho, com a suspensão de visitas de familiares e advogados. Os presos serão realocados para a unidade prisional de Itaperuna até o fim do período de isolamento.”Ressaltamos que o preso internado, no último sábado, com meningite, não veio a óbito e permanece no CTI do Hospital Municipal Ferreira Machado, com o diagnóstico positivo para a doença. Uma análise médica será feita no Presídio, em Campos, e, não havendo outra suspeita de meningite, a rotina na unidade prisional voltará ao normal nesta quinta-feira (13/06). A Seap ressalta que a coordenação de Gestão em Saúde Penitenciária está acompanhando de perto a situação nas unidades prisionais mencionadas. Todos os servidores e internos foram medicados”.

A Secretaria de Estado de Administração Penitenciária informa que ocorreram seis casos de meningite, neste ano, em unidades prisionais, com dois óbitos. Em Campos, houve três casos, com um óbito.