Atletas do Paraesporte de Campos vão entrar com jogadores na Copa América

Os meninos foram escolhidos pela Olimpíadas Especiais Brasil (OEB) para participarem como player escort

Esporte
Por Redação
11 de junho de 2019 - 18h34

Atletas do Paraesporte (Foto: Rodrigo Silveira/Divulgação)

Dois atletas do Paraesporte — maior projeto esportivo público voltado para pessoas com deficiência do país — vão sentir de perto a emoção de um jogo da Copa América no Brasil, que começa na sexta-feira (14). Representando o diretório regional Norte e Noroeste Fluminense, Pedro Barbosa Rodrigues e Guilherme Azevedo Miranda, ambos de 10 anos, foram escolhidos pela Olimpíadas Especiais Brasil (OEB) para participarem como player escort, jovens que acompanham jogadores na entrada ao campo. O Paraesporte é desenvolvido pela Prefeitura de Campos, através da Fundação Municipal de Esportes, e atende cerca de mil alunos no município.

Pedro e Guilherme vão entrar com os jogadores no Maracanã, acompanhados pelos atletas parceiros Bernardo Romeiro e Antonio Abreu, respectivamente.

O primeiro, participa do jogo entre Peru e Bolívia, no dia 18. Já o segundo, terá a emoção de pisar no gramado do estádio em um dos jogos das quartas de final, no dia 28. A participação dos atletas é uma parceria da Conmebol, empresa Sola e a OEB, que vai levar 20 atletas de todo país.

Viviana Almeida Azevedo, mãe de Guilherme, conta que o filho, que é vascaíno, está ansioso para participar do evento. “Ele não fala outra coisa. Ele começou a gostar do esporte depois que participou das aulas de natação e equoterapia na Fundação Municipal de Esportes. O esporte mudou a vida dele. Guilherme está muito mais feliz e sociável”, disse Viviane. “Ir ao Maracanã é um sonho do Pedro e ainda mais entrar em campo em um jogo entre seleções. Ele pediu para chegar mais cedo e sonha encontrar jogadores do Flamengo”, conta a mãe de Pedro, Denise Barbosa Rodrigues.

A OEB é um movimento global sem fins econômicos que, por meio de capacitações esportivas e competições de qualidade, melhora a vida de pessoas com diferentes capacidades intelectuais e, consequentemente, a vida de todas as pessoas que a cercam.