Após servidores suspenderem greve, médicos da rede pública municipal podem parar

Sindicato da categoria está convocando os profissionais para discutirem as condições de trabalho oferecidas pela Prefeitura

Saúde
Por Marcos Curvello
11 de junho de 2019 - 10h33

O presidente do Sindicato dos Médicos de Campos, José Roberto Crespo. (Foto: Silvana Rust/Arquivo)

Após os servidores de Campos decidirem suspender a greve deflagrada no último dia 15 de maio, depois de quase um mês de paralisação, quem pode cruzar os braços são os médicos. O sindicato da categoria está convocando os profissionais que atuam na rede pública municipal de saúde para discutirem, nesta quarta-feira (12), as condições de trabalho oferecidas pela Prefeitura, pedido de reajuste salarial e a possibilidade de entrada em estado de greve.

A convocação é assinada pelo presidente do Sindicato dos Médicos de Campos (Simec), José Roberto Crespo de Souza. Segundo ele, há uma “queixa geral da categoria” a respeito do estado de conservação das unidades de saúde do município.

“Há um sucateamento generalizado na maioria das unidades. As estruturas físicas estão deterioradas. A mobília está destruída e faltam equipamentos médicos fundamentais para um bom atendimento ao paciente. A saúde precisa de ação urgente!”, denunciou o presidente do Simec.

Ainda de acordo com José Roberto, greves deflagradas por outras categorias tem agravado as dificuldades no setor da saúde. “Os médicos estão indo aos seus locais de trabalho onde muitos atendimentos estão parcialmente suspensos graças a greve de outros servidores. Ainda assim, nós do Simec somos favoráveis as reivindicações lícitas dos servidores, afinal somos todos servidores municipais em busca de melhores condições de trabalho. Somente através de medidas enérgicas em prol da saúde poderemos ofertar um atendimento de qualidade a população”, encerrou o presidente.

Veja abaixo a convocação: