Gleyton Rodrigues é o novo fisioterapeuta do Goytacaz

Alvianil segue reforçando o seu departamento de futebol

Esporte
Por ASCOM
27 de maio de 2019 - 17h45

Gleyton Rodrigues, fisioterapeuta Goytacaz (Foto: Carlos Grevi)

O Goytacaz segue reforçando o seu departamento de futebol. O clube já conta com o trabalho de fisioterapia aliado ao da comissão técnica. Gleyton Rodrigues é o novo responsável pela prevenção, acompanhamento, tratamento e reabilitação de todo o elenco alvianil.

O profissional destaca o papel do fisioterapeuta em uma equipe de futebol, aplicando o melhor tratamento funcional no mais curto período de tempo possível, para que o atleta possa retornar o quanto antes aos treinamento e jogos.

“Os métodos aplicados pela Fisioterapia Esportiva procuram recuperar e prevenir casos de lesão, causados pelo desgaste excessivo das articulações e do tecido muscular, e devolver o atleta à prática do esporte o mais rápido possível”, contou

O vice-presidente de futebol. Marcelo Santiago, ressaltou a importância dessa aquisição. “O futebol, por ser um esporte de contato, apresenta alto risco de lesão. E o fisioterapeuta é figura indispensável não só para prevenir como para recuperar lesões. O Goytacaz ganha muito com um ótimo profissional como o Glayton incorporando nosso time”, pontuou.

Gleyton ressalta que a responsabilidade do fisioterapeuta em uma equipe de futebol vai além de apenas tratar lesões. Tem enfoque em prevenir o máximo desse tipo de casos:

“Busco me antecipar a possíveis lesões, tentando prever o que pode acontecer com os jogadores, levando em consideração fatores como: função, idade, sobrecarga de treinos, ocorrência por partidas, baseado sempre à comparação de estudos e experiência prática. O foco é reduzir ao máximo a possibilidade de surgimento desses problemas e manter vigilância constante, afim de detectá-los e eliminá-los o mais precocemente possível”, destacou.

O profissional detalha também os procedimentos para casos de contusão, com o passo a passo até o retorno de cada atleta aos gramados.

“Iniciamos no controle da inflamação com recursos físicos anti-inflamatórios e com aparelhos voltados a essa fase de tratamento. Passamos gradualmente ao fortalecimento e exercícios proprioceptivos respeitando a individualidade de cada atleta, tempo e tipo de lesão. Em paralelo ao fortalecimento, elevamos os exercícios e inserimos os gestuais esportivos de acordo com a função do jogador no time. A finalização passa pelo encaminhamento ao preparador físico”, relatou.

A preparação para a disputa da competição contou com cerca de 40 dias, até a estreia pela Taça Santos Dumont, que aconteceu no último sábado (25). O Goyta visitou o Sampaio Corrêa, em Saquarema, e somou ponto fora de casa com empate em 0 a 0.