Wilson Witzel participa de evento na Coagro, em Campos

O governador se encontrou com o prefeito Rafael Diniz e outras autoridades da região

Economia
Por Redação
23 de maio de 2019 - 13h47

Witzel ladeado por Wladimir Garotinho e Rafael Diniz (Foto: Taysa Assis)

Acontece nesta quinta-feira (23), na Usina Sapucaia, em Campos, RioAgro Coop. O evento reúne, na sede da Cooperativa Agroindustrial do Estado do Rio de Janeiro (Coagro), autoridades, setor produtivo, entidades de classe e cooperativas para discutir ações e políticas de incentivo ao agronegócio e, especialmente, ao setor sucroalcooleiro.

Participaram da abertura o governador do Estado do Rio, Wilson Witzel (PSC), o secretário Estadual de Agricultura, Eduardo Lopes (PRB), o prefeito de Campos, Rafael Diniz (PPS), o deputado federal Wladimir Garotinho (PSD), presidente do da Organização das Cooperativas Brasileiras do Estado do Rio de Janeiro (OCB/RJ), Vinicius Mesquita.

A primeira parte do evento foi marcada por uma apresentação do panorama geral do agronegócio no Norte Fluminense e das iniciativas dos governos municipais e estadual e serviu para que as autoridades e autoridades presentes reforçassem seu compromisso com o setor, que tem importância histórica para  região e surge como alternativa diante finitude dos royalties do petróleo.

Presidente da Coagro, Frederico Paes abriu sua falando sobre a importância do setor e conclamou as autoridades presentes a se unirem em favor dos produtores fluminenses. “A cadeia sucroalcooleira emprega, diretamente, 5 mil trabalhadores por safra e beneficia 10 mil pequenos proprietários rurais do município”, disse Frederico, completando: “As disputas políticas são naturais, mas quando tratamos do interesse regional, é preciso união e é isso que eu peço hoje”.

Representantes de diferentes grupos grupos políticos, como o prefeito Rafael Diniz e o deputado Wladimir Garotinho, apontado como seu possível concorrente direto em 2020, colocaram projetos pessoais de lado e falaram em trabalhar juntos.

“Divergências devem ser respeitadas. Mas, neste momento, precisam ser deixadas para trás, a fim de que possamos fazer o melhor para o município e para a região”, disse Rafael, que é, também, presidente do Consórcio Intermunicipal de Desenvolvimento Norte e Noroeste Fluminense (CIDENNF), antes de falar dos avanços na reativação das instalações da antiga Companhia de Abastecimento do Estado do Rio de Janeiro (Ceasa-RJ), em Guarus, e do estreitamento do diálogo com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), medidas que beneficiam o agricultor local.

Já Wladimir afirmou que trabalha, na Câmara dos Deputados, pela região e se colocou a disposição dos prefeitos e do Governador, lembrando o projeto de lei que reconhece o Norte Fluminense como semiárido. “Isso fará com que nossos agricultores tenham acesso a políticas públicas e financiamentos especialmente pensados para este tipo de clima. Há, por exemplo, uma linha de crédito com taxa de apenas 1% ao ano, que poderia ajudar a impulsionar o agronegócio em Campos e adjacências”, disse, lembrando, ainda, a necessidade de se investir em alternativas aos royalties do petróleo, que poderão ter novas regras de distribuição a partir de setembro, quando o Supremo Tribunal Federal (STF) vai julgar a questão.

Clima e investimento

O reconhecimento do interior fluminense como região de clima semiárido também é uma bandeira defendida por Eduardo Lopes. Segundo ele, o tema foi tratado diretamente com a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. “Falamos, também, sobre a necessidade de se investir em assistência técnica e na extensão rural, bem como de se facilitar o acesso ao crédito, pois não adianta disponibilizar linhas de crédito se o agricultor, por questões fundiárias, não consegue contratar o empréstimo”.

Já o governador Wilson Witzel afirmou que vai trabalhar para melhorar a irrigação da região. “Vamos trazer água para irrigar os campos e colocar as usinas para moer. Já recebemos o produtores, que apresentaram suas demandas, que falaram em investimentos de cerca de R$ 30 milhões. Vamos disponibilizar o dinheiro que for necessário. A Agência Estadual de Fomento vai resolver isso”, garantiu.

Anúncios e sugestões

O dia também foi marcado por anúncios e sugestões. A começar por Frederico Paes, que propôs a criação de um grupo técnico, formado por secretarias de Estado, como Agricultura, Ambiente e Trabalho, prefeituras e universidades, para desenvolver estudos e políticas públicas voltadas pra o agronegócio. Witzel aprovou a ideia. “Deferido! Está criado o grupo técnico!”, afirmou o governador, que deverá anunciar novidades em breve.

Já Rafael Diniz anunciou a criação de uma nova linha de crédito de até R$ 10 mil que será financiada com recursos do Fundo de Desenvolvimento de Campos (Fundecam) e contemplará diretamente os produtores rurais. “A Agrocana vai oferecer ao pequeno produtor de cana-de-açúcar do município empréstimos com taxa de juros de 2% ao ano, que poderá ser reduzida a zero caso o pagamento seja feito em dia”.

Homenagem

Por fim, Frederico Paes conferiu ao governador a Comenda Defensor do Agronegócio Fluminense, criada este ano pela Coagro. Witzel é o primeiro a ser homenageado. Ao receber receber a placa, ele lembrou da mãe, empregada doméstica, e do pai, metalúrgico. “Dedico esta comenda a todos vocês, brasileiros, que acordam cedo e trabalham duro para construir esse país”, disse, visivelmente emocionado.