VÍDEO: Atendimento no CRDI em Campos gera reclamações

A equipe do Jornal Terceira Via foi até o local após a notícia de que Campos já tem quase 3 mil casos confirmados de chikungunya

Geral
Por Taysa Assis
23 de maio de 2019 - 13h08

A cidade de Campos já tem quase 3 mil casos confirmados de chikungunya. O Centro de Referência de Doenças Imuno-Infeciosas (CRDI) foi ampliado e quatro novas salas começaram a funcionar esta semana. Porém, mesmo com a expansão, a população ainda reclama da demora no atendimento.

Assista à reportagem:

 

NOTA DA PREFEITURA

A Secretaria de Saúde informa que nenhum paciente que chega ao CRDI com sintoma de algumas das doenças (Dengue, Zika ou Chikungunya), sai sem receber atendimento adequado. No entanto, ressalta que, devido ao grande número de pessoas que procuram a unidade, pode ocorrer alguma demora no atendimento.

A orientação é que, aos primeiros sintomas, a população busque a unidade de saúde mais próxima de sua residência (Unidades Básicas de Saúde, postos 24h e as Unidades Pré-Hospitalares). Para diminuir a dor e o inchaço das articulações causados pela Chikungunya deve-se seguir o tratamento indicado no atendimento, como o uso de compressas frias, além de beber muitos líquidos como água, chá e água de coco. O CRDI deve ser procurado por pacientes após o sétimo dia de sintomas da Chikungunya, período em que o resultado do exame é conclusivo.

Com a nova estrutura, serão quatro salas, montadas anexas ao CRDI, além de duas salas para atendimento médico, uma sala de enfermagem e outra destinada para ser o espaço para hidratação com oito cadeiras. A unidade está atendendo com 9 acadêmicos e 7 médicos (antes eram 5), de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 17h.