Lyra de Apolo celebra 149 anos de existência

Patrimônio musical de Campos, integrantes da banda também comemoram recuperação do prédio incendiado há três décadas

Cultura
Por Ocinei Trindade
16 de maio de 2019 - 17h45

Fachada do prédio que passa por restauração (Fotos: Silvana Rust)

Foto: Silvana Rust

No domingo (19), a banda de música Lyra de Apolo vai comemorar com bolo, guaraná e audição os seus 149 anos de existência. A apresentação será na Praça São Salvador, às 10h. Logo em seguida, haverá um desfile pela área central e a finalização acontecerá no prédio histórico da Lyra, que ainda se recupera de um incêndio ocorrido em 1990. Com recursos próprios, aos poucos, o edifício retorna à sua originalidade. O maestro Ricardo Azevedo também faz aniversário este mês. Ele completará 80 anos de vida, no dia 21. Na maior parte do tempo, dedicou-se à banda musical.

A Lyra de Apolo possui 25 componentes atualmente. Todos são bastante atuantes. Pelo menos uma vez por mês, a banda se apresenta em público. O último concerto aconteceu na sede da Maçonaria Progresso. “O importante é que a banda está de pé. São muitas lutas, principalmente desde que o incêndio atingiu nossa sede. Como não temos patrocínio ou incentivo, somos nós que estamos recuperando o prédio. Demora porque a restauração custa caro”, diz Ricardo Azevedo.

Incansável maestro Ricardo Azevedo também faz aniversário de 80 anos e 67 de Lyra

O maestro se emociona quando fala do esforço em recuperar o prédio da Lyra de Apolo. “Estamos felizes pelos 149 anos, mas esperamos poder celebrar os 150 em 2020 dentro do prédio com tudo funcionando plenamente. Quando assumi a liderança do grupo, o prédio era só carcaça por causa do incêndio. Este ano, conseguimos erguer as torres, o telhado e colocar as liras douradas no alto do prédio. Ano passado, fizemos a escada e o assoalho. Ficamos esse tempo todo ensaiando na rua, pois por 28 anos não se podia subir ao segundo pavimento”, lembra.

Na próxima semana, outra etapa da obra será realizada. Portas serão colocadas e pintadas em dourado, mesma cor das liras instaladas no telhado. Ricardo Azevedo elogia a equipe e o vice-presidente da Lyra de Apolo nesse demorado processo de recuperação e restauração do prédio. “É muito trabalho. Porém, vamos conseguir concluir”, diz o maestro que no dia 21 celebra 80 anos. Ele entrou para a banda quando tinha 13 anos de idade. “Fui influenciado pelo meu pai que pertenceu a Lyra Guarany. Temos muitas razões para celebrar”, conta.

A Lyra de Apolo ensaia toda semana. Quem quiser fazer parte do grupo, pode aprender algum instrumento gratuitamente aos sábados, de 9h às 12h30. São gerações passando conhecimento para os novos músicos que chegam. “A gente se renova sempre”, diz Ricardo Azevedo que já adiantou: no repertório de aniversário, terá o clássico “A banda”, de Chico Buarque de Holanda. “Depois, vamos tocar e cantar o Parabéns pra Você, merecidamente”, conclui o maestro.

São 29 anos recuperando o prédio histórico da Lyra de Apolo, no Centro de Campos