Segue impasse entre servidores e Prefeitura de Campos sobre reajuste

Funcionalismo mantém estado de greve; profissionais da Educação realizam assembleia nesta quinta

Campos
Por Redação
9 de maio de 2019 - 10h26

Rafael Diniz recebeu servidores após manifestação realizada em frente ao Centro administrativo (Foto: SupCom)

Após encontro com o prefeito Rafael Diniz, na noite dessa quarta-feira (8), os servidores representados pelo Sindicato dos Profissionais Servidores Públicos Municipais de Campos dos Goytacazes (Siprosep) decidiram manter o estado de greve. A categoria, que fez nova manifestação quarta em frente à Prefeitura, reivindica reajuste de 10% a 15% devido a perdas salariais acumuladas desde 2015. No entanto, durante a reunião com a categoria, o prefeito deixou claro que o reajuste é uma possibilidade que ainda está sendo estudada.

Na noite desta quinta-feira (9), o Sindicato Estadual dos Profissionais da Educação (Sepe) realiza assembleia, a partir das 18h, no Sindicato dos Bancários, para definir os rumos do movimento.

O movimento realizou uma paralisação de 24 horas na segunda-feira (6). Além de reposição salarial, está na pauta de negociação o retorno do plano de saúde, aumento do auxílio alimentação e reconhecimento de progressões salariais previstas no Plano de Cargos, Carreiras e Salários (PCCS).

Além das demandas gerais, os profissionais da Educação têm uma pauta específica com as seguintes reivindicações: eleição direta para escolas e creches, implantação de 1/3 da carga horária para planejamento em todas as creches, escolas do Ensino Fundamental I e II, redução de carga horária de 40 para 30 horas dos auxiliares de secretaria e de turma, e concurso público para todos os cargos da Educação Municipal.

Leia também:
Após paralisação de 24 horas, servidores municipais de Campos marcam assembleia para quinta-feira