Grafiteiro francês participa de projetos sociais em Campos

O artista percorre áreas carentes como Tapera e Portelinha, além de Atafona e Uenf, onde promove o grafite

Cultura
Por Ocinei Trindade
8 de maio de 2019 - 17h41

O grafiteiro francês 2Shy percorre comunidades de Campos (Reprodução)

Colorir prédios e muros abandonados com arte é uma atividade comum para os grafiteiros. Os desenhos costumam ocupar cada vez mais espaço na paisagem urbana. Em Campos, há locais onde o grafite ganhou destaque como a muralha que margeia a Avenida XV de Novembro, no Centro. A partir desta semana, outros locais receberão pinturas do artista francês conhecido como 2Shy. O artista visita comunidades como Tapera e Portelinha para ensinar e compartilhar as intenções do grafite. Ele visitará também Atafona, em São João da Barra, além do prédio do CCH da Uenf. Na universidade, 2Shy fará intervenções e exposição até o dia 15.

O primeiro local em Campos a ser visitado pelo grafiteiro foi a localidade da Tapera, às margens da BR-101. Até esta quinta-feira (9), 2Shy deve imprimir sua arte em algumas construções na região. A visita do grafiteiro é uma iniciativa da Antropoarte e de algumas instituições como Aliança Francesa, Uenf, UFRJ e a Associação Norte Fluminense dos Engenheiros e Arquitetos. Para o vice-presidente da ANFEA, Rodrigo Porto, é oportuno apoiar arte e cultura.

Intervenções de 2Shy em cidades do mundo (Reprodução)_

“As atividades ministradas pelo artista francês 2Shy no Brasil recebem incentivos de instituições de ensino e organizações que apóiam o ensino e  a cultura. Além dessas entidades, a ANFEA e a Casa Duna de Atafona se uniram para trazê-lo. O intuito do apoio da ANFEA é incentivar a cultura e a educação artística. Visionamos  o quanto a arte pode ser positiva no âmbito socioeducativo. O  grafite é arte, diferentemente de pichação”, destaca.

Rodrigo Porto compreende que a cidade é a tela do artista. “Nesse ambiente, nós arquitetos e urbanistas incentivamos a expressão artística do grafite, principalmente quando se junta a expressão artística e algum cunho social”, diz. O grafiteiro 2Shy poderá ser acompanhado pelo público de 10 a 12, em Atafona, na Casa Duna. Já de 13 a 15, ele fará intervenções no prédio do Centro de Ciências do Homem da Universidade Estadual do Norte Fluminense. Na ocasião, realizará oficinas e exposição na Uenf e se encontrá com moradores da comunidade da Portelinha, vizinha à instituição de ensino. Outras cidades brasileiras também serão visitadas pelo artista francês.

Crianças da comunidade aprendem a arte do grafite (Reprodução)